Guiné deve atrair investimentos para infraestrutura de Simandou, diz presidente

domingo, 24 de novembro de 2013 16:30 BRST
 

Por Stanley Carvalho e Regan Doherty

ABU DHABI, 24 Nov (Reuters) - O presidente da Guiné, Alpha Conde, disse neste domingo estar confiante sobre os compromissos de investidores para financiar a cara infraestrutura da parte sul da jazida gigante de minério de ferro de Simandou, apesar do provável estouro do prazo para produção no local.

As muito esperadas diretrizes para investimento devem estar concluídas "muito em breve", preparando o caminho para a entrada de investimentos. "Discussões interessantes estão em curso", disse ele à Reuters durante uma conferência de investidores da Guiné em Abu Dhabi.

A meta para produção era 2015, mas esse prazo deve ser estourado.

"Devido a alguns atrasos que podem ocorrer no trabalho de infraestrutura, é provável que tenhamos alguns atrasos", disse Conde, sem estabelecer um cronograma.

Simandou é um dos maiores depósitos intocados de minério de ferro do mundo. O desenvolvimento do projeto --junto com as infraestruturas ferroviária e portuária-- pode custar 20 bilhões de dólares ou mais, e se espera que estimule a região e transforme a Guiné em uma grande exportadora.

A gigante da mineração Rio Tinto detém a concessão para parte sul de Simandou, enquanto o norte pertence ao braço de mineração do conglomerado do bilionário israelense Beny Steinmetz, o BSG Resourcer, em parceria com a brasileira Vale.

 
Presidente da Guiné, Alpha Conde, durante sessão do Fórum Econômico Mundial, em Davos. Conde disse neste domingo estar confiante sobre os compromissos de investidores para financiar a cara infraestrutura da parte sul da jazida gigante de minério de ferro de Simandou, apesar do provável estouro do prazo para produção no local. 26/01/2012. REUTERS/Christian Hartmann