CORREÇÃO-Dívida mobiliária federal soma R$2 tri em outubro, maior da série

segunda-feira, 25 de novembro de 2013 17:20 BRST
 

(Esclarece no último parágrafo que a emissão externa foi de Global 2025, e não 2015)

BRASÍLIA, 25 Nov (Reuters) - O estoque total da dívida mobiliária federal subiu 1,69 por cento em outubro ante setembro, para 2,023 trilhões de reais, o maior da série histórica, informou o Tesouro Nacional nesta segunda-feira.

No mesmo período, a dívida pública interna cresceu 1,91 por cento, atingindo 1,934 trilhão de reais, devido a emissões líquidas de títulos públicos federais no valor de 18,62 bilhões de reais e apropriação de juros de 17,53 bilhões de reais. Do total das emissões feitas no mês passado, o Tesouro emitiu 2,350 bilhões de reais para a Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

Em relação à composição da dívida, os títulos prefixados atingiram 40,74 por cento do total, ante 40,36 por cento em setembro. Os papéis corrigidos pela inflação somaram 35,04 por cento do total, ante 35,10 por cento no mês anterior. Já os títulos atrelados aos juros básicos ficaram em 19,95 por cento do total, menor que os 20,04 por cento no mês anterior.

Entre os detentores dos papéis, a participação dos investidores estrangeiros caiu em outubro para 16,91 por cento, frente 17,22 por cento em setembro.

DÍVIDA EXTERNA

Em outubro, o estoque da dívida externa ficou em 88,85 bilhões de reais. No mês passado, o governo realizou a primeira emissão soberana externa desde maio, captando 3,2 bilhões de dólares com o Global 2025, operação que pagou o maior spread em quatro anos em títulos soberanos.

(Por Luciana Otoni)