25 de Novembro de 2013 / às 21:39 / em 4 anos

Dólar fecha com leve alta ante o real, de olho no BC

Por Patrícia Duarte e Bruno Federowski

SÃO PAULO, 25 Nov (Reuters) - Diante da intensiva atuação do Banco Central e do cenário internacional mais aliviado por conta do acordo nuclear entre o Irã e potências mundiais, o dólar fechou com leve alta ante o real nesta segunda-feira, após mostrar pequeno sobe e desce durante boa parte do pregão.

A moeda norte-americana avançou 0,22 por cento, a 2,2880 reais na venda, após fechar a sessão anterior com queda de 1 por cento. Na máxima do dia, a moeda norte-americana chegou a 2,2970 reais e, na mínima, a 2,2789 reais.

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,5 bilhão de dólares.

“O dólar pode ter uma tendência de queda no curto prazo”, afirmou o gerente de câmbio das corretora Fair, Mário Battistel, acrescentando, no entanto, que o dia tinha espaço para alguma volatilidade porque investidores poderiam aproveitar a cotação mais baixa para remeter dólares ao exterior.

“Já tenho alguns clientes que deixaram ordens assim para determinadas cotações”, completou. Nas últimas semanas, o dólar tem rondado o patamar de 2,30 reais.

O BC deu continuidade, nesta sessão, ao programa de intervenções diárias no câmbio, ao vender 10 mil contratos swaps tradicionais --equivalente à venda de dólares no futuro-- com vencimento em 2 de junho de 2014. Os papeis com vencimento em 5 de março de 2014 não foram vendidos.

E já anunciou para terça-feira mais um leilão previsto pelo cronograma de rações diárias, ofertando até 10 mil contratos distribuídos entre os vencimentos 5 de março de 2014 e 2 de junho de 2014. A oferta ocorrerá entre 9h30 e 9h40 e o resultado será conhecido a partir das 9h50, informou o BC.

À tarde, a autoridade monetária também realizou o oitavo leilão de rolagem dos swaps que vencem em dezembro, vendendo a oferta total de 20 mil contratos, com valor equivalente a 992,4 milhões de dólares. Com a operação, o BC já rolou 78,3 por cento do lote total.

Após o fechamento, o BC anunciou para terça a nona etapa da rolagem, com as mesmas condições do realizado nesta sessão.

No fim de semana, o Irã e seis potências mundiais chegaram a um acordo para limitar o programa nuclear iraniano em troca de alívio nas sanções impostas ao país, no primeiro sinal de uma reaproximação de Teerã com o Ocidente.

Segundo o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo, os níveis em que o dólar tem sido negociado atualmente têm deixado investidores relativamente tranquilos em relação à atuação do BC.

“É muito prático para o BC o dólar ficar em torno de 2,25, 2,30 reais. Ele evita fazer uma intervenção drástica”, afirmou ele, acrescentando que, nestes níveis, a divisa norte-americana não é inflacionária.

Galhardo afirmou, entretanto, que o dólar não deve perder muito mais fôlego, uma vez que a perspectiva de corte no estímulo monetário norte-americano continua no horizonte. O Federal Reserve, banco central dos EUA, injeta mensalmente 85 bilhões de dólares na economia do país e a redução do programa teria o efeito de enxugar a liquidez nos mercados globais.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below