Órgão dos EUA alertará aéreas sobre risco em aviões da Boeing

terça-feira, 26 de novembro de 2013 10:10 BRST
 

SÃO PAULO, 26 Nov (Reuters) - A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) irá orientar as empresas aéreas a evitar voos perto de tempestades com as aeronaves 787 Dreamliner e 747-8 da Boeing equipadas com motores da General Electric, após alguns aviões registrarem a formação de gelo no motor.

O regulador dos EUA disse que iria emitir um alerta de aeronavegabilidade esta semana para os aviões movidos por motores GEnx, da GE.

"O alerta é uma ação interina para ter certeza que pilotos evitem as condições de gelo que podem afetar a energia do motor e possivelmente danificá-lo", disse a FAA.

O regulador também disse que está trabalhando de perto com a Boeing e a GE para monitorar e entender esses acontecimentos enquanto as empresas desenvolvem uma solução permanente.

O 787 pode ser equipado tanto com motor GEnx como com o rival Trent 1000, feito pela Rolls-Royce. Já o modelo 747-8 possui exclusivamente o motor da GE.

A Boeing alertou as empresas aéreas na sexta-feira sobre o risco de problemas com os aviões 747-8 e 787 Dreamliner com motores da GE, pedindo às companhias que evitassem voar com as aeronaves perto de altitudes altas e com riscos de tempestades.

Entre as empresas afetadas estão a Japan Airlines, Lufthansa, United Airlines, unidade da United Continental, e a Cathay Pacific Airlines. O alerta fez a Japan Airlines retirar o 787 Dreamliner de duas rotas internacionais.

(Por Alwyn Scott em Nova York e Aby Jose Koilparambil em Bangalore)

 
Um funcionário da Japan Airlines (JAL) passa por um dos Boeing 787 Demreanline no aeroporto internacional de Narita, ao leste de Tóquio. A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos (FAA, na sigla em inglês) irá orientar as empresas aéreas a evitar voos perto de tempestades com as aeronaves 787 Dreamliner e 747-8 da Boeing equipadas com motores da General Electric, após alguns aviões registrarem a formação de gelo no motor. 11/11/2013 REUTERS/Toru Hanai