Produção de gás em Manati deve crescer em dezembro, estima QGEP

terça-feira, 26 de novembro de 2013 19:24 BRST
 

SÃO PAULO, 26 Nov (Reuters) - O campo de Manati, no litoral da Bahia, pode encerrar o ano com uma produção acima da estimada, ao atingir em dezembro um pico de 6,3 milhões de metros cúbicos de gás por dia, disse nesta terça-feira o diretor presidente da Queiroz Galvão Exploração e Produção, Lincoln Guardado.

A empresa detêm 45 por cento do campo de Manati, em sociedade com a Petrobras (35 por cento), que é a operadora, Brasoil (10 por cento) e Geopark (10 por cento, sujeito a aprovação de órgãos competentes).

"A última medição em Manati mostra que estamos com 6,3 milhões e devemos encerrar o ano com (média anual de) de 6 milhões de metros cúbicos", disse o executivo a jornalistas, em evento no Rio de Janeiro.

Até setembro, a produção média em Manati, principal ativo operação do grupo QGEP, esteve em 5,9 milhões de metros cúbicos por dia, em média. No terceiro trimestre do ano, a média já estava em 6,2 milhões de metros cúbicos.

A empresa prevê para o ano que vem a utilização de uma planta de compressão vinculada ao sistema de Manati, para aumentar a pressão do campo. A perda natural da pressão deve reduzir produção para 5,5 milhões de metros cúbicos diários em média em 2014.

O processo de licitação para a contratação e construção da unidade está relativamente atrasado, o que pode afetar também a produção em Manati no começo de 2015, disseram executivos.

No entanto, a estimativa é que a produção média ao final de 2015, mesmo com o atraso na licitação, volte a cerca de 6 milhões de metros cúbicos/dia.

BLOCO BS-4

O presidente da QGEP reiterou o interesse do grupo na fatia da OGX no bloco BS-4, na Bacia de Santos, embora a prioridade seja para o investimento em outros ativos.   Continuação...