Petroleiras arrematam blocos em áreas com infraestrutura na 12a rodada

quinta-feira, 28 de novembro de 2013 13:36 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 28 Nov (Reuters) - A procura por blocos exploratórios nas bacias do Paraná, Sergipe-Alagoas e Recôncavo durante 12a rodada de licitações mostra a preocupação das empresas em escoar o gás que eventualmente encontrarão nas áreas arrematadas.

A Bacia do Paraná, apesar de apresentar um elevado risco exploratório, foi a mais disputada do leilão até o início da tarde desta quinta-feira, com 16 áreas licitadas das 19 oferecidas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Também houve boa procura por blocos da Bacia do Sergipe-Alagoas, ao contrário do que aconteceu com as áreas ofertadas nas bacias do São Francisco e Parecis, que não tiveram nenhum bloco licitado.

As bacias do Parnaíba e de Acre Madre de Dios tiveram apenas um bloco licitado em cada uma.

"Se olharmos para a bacia do Paraná, que ainda é um desafio do ponto de vista geológico, vemos que está bem perto dos mercados ... E em Sergipe-Alagoas há infraestrutura", afirmou o presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP) João Carlos de Luca.

Segundo ele, o leilão trouxe "boas surpresas" com a participação das empresas nas duas bacias. Para outros especialistas e executivos presentes no evento, as disputas nestas regiões surpreenderam positivamente, e a pouca demanda por blocos nas outras já era esperada, sobretudo nas de nova fronteira, com risco exploratório bastante elevado.

O diretor da ANP, Florival Carvalho, avalia que o bônus arrecadado até a manhã desta quinta-feira surpreendeu a reguladora, passando de 140 milhões de reais, numa contabilidade parcial.

A 12a rodada está ofertando um total de 240 blocos exploratórios terrestres com potencial para gás natural nas bacias do Paraná, Parnaíba, Acre-Madre de Dios, Sergipe-Alagoas, Parecis, São Francisco e Recôncavo totalizando 168,3 mil km quadrados.

(Com reportagem de Jeb Blount)