Petroleiras buscam infraestrutura e rejeitam áreas isoladas na 12a rodada

quinta-feira, 28 de novembro de 2013 18:49 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi e Jeb Blount

RIO DE JANEIRO, 28 Nov (Reuters) - O governo brasileiro conseguiu licitar nesta quinta-feira praticamente apenas blocos exploratórios de gás localizados em bacias que contam com infraestrutura e próximas de centros consumidores, mostrando a preocupação das empresas em escoar o gás que eventualmente encontrarem nas áreas.

De um total de 240 blocos ofertados na 12a rodada de licitações, 72 foram arrematados, dos quais 70 deles nas bacias do Paraná, que abrange os Estados do Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo; de Sergipe-Alagoas; e do Recôncavo, na Bahia.

O resultado surpreendeu pela grande procura por blocos nas três bacias, mas também confirmou expectativas pessimistas com a fraca demanda por áreas localizadas em regiões mais isoladas e de novas fronteiras, afirmaram especialistas, executivos e autoridades do setor.

"Foi uma rodada para semear a cultura do gás", afirmou Magda Chambriard, diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), que é responsável pelos leilões.

O arremate de cerca de 30 por cento dos blocos oferecidos na 12a Rodada ficou abaixo do resultado alcançado na 10a Rodada, quando também foram licitados apenas blocos exploratórios em terra. Na 10a Rodada, foram arrematados cerca de 41 por cento dos blocos ofertados. Por outro lado, o governo arrecadou bem em bônus no leilão desta quinta.

BÔNUS

O diretor da ANP Florival Carvalho avaliou que o valor arrecadado com bônus surpreendeu a reguladora.

No total, a agência garantiu arrecadação de 165,2 milhões de reais, sendo que 120,2 milhões de reais serão pagos apenas pela Petrobras, segundo cálculos da Reuters.   Continuação...