Brasil tem primário de R$6,2 bi, pior outubro da história, e coloca meta ainda mais longe

sexta-feira, 29 de novembro de 2013 13:25 BRST
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 29 Nov (Reuters) - O setor público brasileiro registrou superávit primário de 6,188 bilhões de reais em outubro, pior resultado para esses meses e muito aquém das expectativas, piorando ainda mais o cenário fiscal do país e colocando o cumprimento da meta ajustada para o ano cada vez mais longe.

A economia para pagamento de juros, divulgada nesta sexta-feira pelo Banco Central, ficou abaixo do esperado por especialistas em pesquisa Reuters, de saldo positivo de 9,75 bilhões de reais.

Em 12 meses até outubro, o primário foi equivalente a 1,44 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), longe dos 2,3 por cento da meta ajustada para 2013 e o pior desempenho para o período desde novembro de 2009.

O BC informou ainda que o déficit nominal --receitas menos despesas, incluindo pagamento de juros-- ficou em 11,528 bilhões de reais no mês passado, também recorde para outubro e pior que o esperado (8 bilhões de reais), enquanto a dívida pública subiu a 35,1 por cento do PIB, ante 35 por cento de setembro.

Diante da saraivada de números ruins, o mercado considera que não há chances de cumprimento da meta ajustada. "Entregar ou não entregar a meta já não é importante. Importante é o ajuste (fiscal) que não está sendo feito", afirmou o economista-chefe do Espírito Santo Investment Bank, Jankiel Santos.

O próprio governo já deu sinais reconhecendo que a meta ajustada não será atingida. Na terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o governo central entregará superávit primário neste ano de 73 bilhões de reais e que o restante da meta dependerá do desempenho de Estados e municípios, que devem registrar primário de 23 bilhões a 26 bilhões de reais.

Com isso, e levando em consideração que o governo central faria primário de 73 bilhões de reais, o resultado ficaria abaixo de 100 bilhões de reais da meta ajustada.

GOVERNO CENTRAL   Continuação...

 
Uma moeda de 1 real em uma foto ilustrativa capturada no Rio de Janeiro. O setor público brasileiro registrou superávit primário de 6,188 bilhões de reais em outubro, pior resultado para esses meses e muito aquém das expectativas, piorando ainda mais o cenário fiscal do país e colocando o cumprimento da meta ajustada para o ano cada vez mais longe. 10/11/2010 REUTERS/Sergio Moraes