Dólar sobe 0,86% ante o real e fecha novembro com maior ganho em 6 meses

sexta-feira, 29 de novembro de 2013 19:38 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 29 Nov (Reuters) - O dólar fechou em alta de quase 1 por cento ante o real nesta sexta-feira, num pregão marcado pelo baixo volume de negócios e diante de novos sinais preocupantes sobre a saúde fiscal brasileira, encerrando novembro com o maior ganho mensal em seis meses.

Segundo analistas, a tendência de fortalecimento da divisa norte-americana tende a continuar nos próximos meses, alimentada também pela perspectiva de redução do programa de estímulo nos Estados Unidos, apesar da contínua atuação Banco Central brasileiro no mercado cambial.

O dólar fechou o dia com alta de 0,86 por cento, a 2,3374 reais na venda. No mês, a divisa acumulou alta de 4,61 por cento, maior avanço mensal desde maio deste ano, quando subiu 7 por cento e começaram a crescer as expectativas de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, poderia iniciar o corte no seu programa de compra de títulos.

Segundo dados da BM&F, o volume financeiro ficou em torno de 1 bilhão de dólares neste pregão, bem abaixo da média diária deste mês, de 1,7 bilhão de dólares, em função do fechamento antecipado dos mercados norte-americanos pelo feriado do dia de Ação de Graças.

O plano de fundo desta sessão foi a divulgação de que o setor público consolidado registrou em outubro superávit primário de 6,188 bilhões de reais, abaixo das expectativas. O dado reforçou a preocupação com a situação fiscal do país, que tem levado investidores a exigir mais prêmio de ativos brasileiros.

"O cenário fiscal brasileiro ruim, a incerteza com a política monetária norte-americana... tudo isso aponta para a valorização do dólar no futuro", afirmou o operador da B&T Corretora Marcos Trabbold.

A expectativa é que a decisão do Fed, quando tomada, reduza a liquidez global e pressione o dólar. Segundo o economista sênior do Espírito Santo Investment Bank, Flavio Serrano, a percepção ampla nas mesas de câmbio é de que o baque venha em fevereiro ou março do ano que vem.

A alta do dólar foi mais contida durante o início desta sessão, com a briga dos investidores pela formação da Ptax --taxa formulada pelo BC que serve de referência para diversos contratos cambiais.   Continuação...