Ações da Petrobras têm maior tombo desde 2008 e fazem Bovespa recuar mais de 2%

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 17:58 BRST
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO, 2 Dez (Reuters) - A maior queda das ações da Petrobras em cinco anos levou o principal índice da bolsa paulista a iniciar dezembro com baixa de mais de 2 por cento, diante da frustração do mercado com a falta de clareza sobre a nova metodologia de reajuste de preços de combustíveis.

O Ibovespa caiu 2,36 por cento, maior queda percentual desde 30 de setembro, a 51.244 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 7,5 bilhões de reais.

As ações preferenciais da Petrobras caíram 9,21 por cento, a 17,36 reais, e as ordinárias recuaram 10,37 por cento, a 16,42 reais. Desde novembro de 2008 os papéis da estatal não tinham queda tão acentuada.

Na sexta-feira, a Petrobras anunciou elevação média do preço da gasolina nas refinarias no país em 4 por cento e do diesel em 8 por cento, em um momento em que sofre com um caixa apertado e alto endividamento.

No entanto, a empresa disse que, "por razões comerciais", os parâmetros da metodologia de precificação serão mantidos em sigilo.

Investidores esperavam que a divulgação de uma metodologia de reajuste de preços fosse ajudar a aumentar a previsibilidade sobre a geração de caixa da companhia, afetada pela defasagem de preços entre o mercado nacional e o internacional.

"Ninguém sabe exatamente quais são os indicadores ou quais são os gatilhos ou períodos para as revisões, deixando espaço para potenciais manobras nos preços", avaliaram analistas do banco de investimento Itaú BBA.

"Nós nos questionamos o que realmente mudou", disseram os analistas Paula Kovarsky e Diego Mendes, em nota a clientes no fim de semana.   Continuação...