CVM propõe dispensar publicação de avisos de ofertas públicas em jornal

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013 19:36 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 2 Dez (Reuters) - A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) pretende dispensar as companhias da obrigação de publicar avisos de ofertas públicas nos grandes jornais, como parte do projeto de reduzir custos para empresas pequenas e médias e facilitar o acesso ao mercado acionário.

"O principal objetivo da proposta é dispensar a instituição intermediária do dever de publicar os avisos obrigatórios da oferta pública em jornais de grande circulação", informou a autarquia em comunicado, adicionando que a divulgação deverá ser realizada na Internet.

A proposta, que altera a Instrução 400/03, também sugere que o prospecto definitivo ou preliminar não precise ser entregue aos investidores em versão impressa. O documento seria disponibilizado, obrigatoriamente, nas páginas virtuais em que os avisos da oferta são divulgados.

"A CVM está retirando apenas a obrigação, a necesisdade que seja feito via jornal. Agora as empresas podem analisar qual a estratégia que vão preferir", disse à Reuters o gerente de aperfeiçoamento de normas da autarquia, Antonio Carlos Berwanger.

Estas eventuais mudanças na norma são referentes às propostas de aprimorar o ambiente regulatório para que empresas de menor porte consigam acessar o mercado de capitais e se financiar por meio de emissões públicas de ações.

Em meados deste ano, a CVM, a BMF&FBovespa e outros agentes de mercado apresentaram ao mercado o projeto que visa facilitar o acesso de empresas menores ao mercado acionário por meio de propostas que prevêem a redução de custos de oferta de ações e simplificação do processo de abertura de capital.

Desta forma, a mudança proposta nesta segunda-feira visa aumentar a atratividade do mercado de capitais como alternativa de financiamento, disse a autarquia.

De acordo com Berwanger, a CVM recebeu do comitê técnico que está cuidando deste projeto de incentivo às empresas menores a sugestão de alteração de outras quatro normas.

A primeira delas teve a alteração editada na semana passada e refere-se à Instrução 391/03, sobre a constituição, o funcionamento e a administração dos fundos de investimento em participações (FIP).   Continuação...