PMI mostra resiliência do setor de serviços da China em novembro

terça-feira, 3 de dezembro de 2013 07:17 BRST
 

Por Koh Gui Qing e Jonathan Standing

PEQUIM, 3 Dez (Reuters) - O crescimento no setor de serviços da China ficou perto da máxima em um ano em novembro, outra indicação de força no momento em que o governo prepara para dotar reformas visando reestruturar a segunda maior economia do mundo.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial para o setor de serviços caiu ligeiramente para 56 em novembro ante máxima de 13 meses de 56,3 em outubro, informou nesta terça-feira a Agência Nacional de Estatísticas.

O resultado ainda permanece confortavelmente acima da marca de 50 que separa crescimento de contração, e segue-se a duas outras pesquisas PMI nesta semana que mostraram expansão na atividade da indústria no mês passado.

A economia retomou algum ímpeto desde meados do ano, após uma prolongada desaceleração. Embora a expectativa fosse de que perdesse força conforme o efeito das medidas de apoio do governo diminuísse, a atividade mostrou resiliência no último trimestre.

Isso deve fortalecer a postura do governo de avançar com sua ambiciosa agenda de reformular a economia para impulsionar o consumo doméstico às custas dos tradicionais motores de exportações e investimento.

Os dados desta terça-feira mostraram que as empresas de serviços receberam mais novas encomendas no mês passado, embora a taxa de crescimento tenha desacelerado. O subíndice de novas encomendas atingiu 51, ante 51,6 em outubro.

A pesquisa PMI sobre o setor de serviços do Markit em conjunto com o HSBC será divulgado na quarta-feira. Essa pesquisa cobre empresas menores e mais privadas do que o PMI oficial.