Wal-Mart banca custo com advogados para executivos em escândalo de corrupção

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 10:50 BRST
 

WASHINGTON, 4 Dez (Reuters) - O Wal-Mart Stores está pagando o custo de advogados contratados para representar mais de 30 executivos envolvidos em uma investigação de corrupção internacional, segundo fontes próximas ao assunto.

O alto número de profissionais envolvidos é incomum e sinaliza o nível de profundidade das investigações do governo norte-americano.

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos está investigando se o Wal-Mart praticou subornos no México para obter permissões para abrir novas lojas no país. Os investigadores também avaliam se os executivos esconderam um inquérito interno sobre os pagamentos de suborno.

Além disso, o departamento dos EUA está investigando possível má conduta da maior rede de varejo do mundo no Brasil, China e Índia.

Nos últimos meses, o governo dos EUA interrogou uma série de importantes executivos do Wal-Mart, incluindo profissionais alocados na sede da companhia em Bentonville, Arkansas, afirmaram as fontes. A investigação e a grande repercussão do caso parecem ter levado executivos a buscarem seus próprios advogados. Os fontes não quiseram citar os nomes dos executivos que foram interrogados.

O Wal-Mart confirmou que está bancando as despesas legais dos executivos envolvidos na investigação de suborno, mas não deu mais detalhes.

Apesar de ser comum que empresas envolvidas em investigações dessa natureza cubram os custos legais para seus executivos, especialistas afirmaram que o grande número de advogados contratados pelo Wal-Mart para o caso sugere que os promotores dos EUA estão avaliando agressivamente as informações prestadas pela companhia e que podem estar considerando casos contra vários indivíduos.

"Nunca ouvi notícia de tantos alvos em potencial de uma investigação", disse Richard Cassin, advogado especializado em casos de corrupção e autor de um blog popular sobre o assunto. "Isso sugere que o departamento realmente está investigando a fundo."

O porta-voz do Wal-Mart David Tovar disse que a investigação está em curso e que a empresa está cooperando com as autoridades norte-americanas. Ele afirmou que não é incomum que indivíduos contem com advogados para aconselhá-los em tais situações.

(Por Aruna Viswanatha)