Petrobras diz que reajustes de combustíveis não serão automáticos

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 12:08 BRST
 

SÃO PAULO, 4 Dez (Reuters) - A aplicação de reajustes aos preços de combustíveis não será automática como resultado da fórmula de precificação aprovada no fim da semana passada pelo Conselho de Administração da Petrobras, informou a estatal nesta quarta-feira.

Em esclarecimentos à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Petrobras disse ainda que a metodologia de precificação da gasolina e do diesel "contém parâmetros baseados em variáveis como preço de referência dos derivados no mercado internacional, taxa de câmbio e ponderação associada à origem do derivado vendido, se refinado no Brasil ou importado".

"A metodologia estabelece bandas de reajuste, conferindo à diretoria executiva poder discricionário à luz da dinâmica dos mercados doméstico e internacional", acrescentou a empresa.

Na sexta-feira passada, a Petrobras havia dito que, por razões comerciais, os parâmetros da metodologia de precificação seriam "estritamente internos à companhia".

A Petrobras também anunciou um aumento de 4 por cento da gasolina e de 8 por cento do diesel nas refinarias, percentuais que vieram abaixo do esperado por analistas.

Investidores derrubaram em cerca de 10 por cento as ações da Petrobras no começo desta semana, decepcionados com a decisão da empresa de não divulgar detalhes de sua nova política de preços e com o aumento dos combustíveis aquém do estimado.

A diretoria da Petrobras apresentou ao seu Conselho presidido pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, no fim de outubro, uma proposta de metodologia de preços prevendo reajustes automáticos e periódicos de combustíveis. O mecanismo enfrentou forte resistência dentro do governo, por ser visto como uma maneira de indexar a economia e, portanto, pressionar a inflação.

No documento desta manhã, a Petrobras também refutou especulações sobre a saída da presidente da companhia, Maria das Graças Foster.

As ações preferenciais da Petrobras tinham variação positiva de 0,63 por cento às 10h50, enquanto o Ibovespa tinha alta de 0,59 por cento.

 
Os preços de gasolina, álcool e diesel vistos na placa de um posto de combustível, ao lado do tráfego na praia de Copacabana no Rio de Janeiro. A aplicação de reajustes aos preços de combustíveis não será automática como resultado da fórmula de precificação aprovada no fim da semana passada pelo Conselho de Administração da Petrobras, informou a estatal nesta quarta-feira. 29/11/2013 REUTERS/Ricardo Moraes