China rejeita milho dos EUA após encontrar transgênico não aprovado

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 11:08 BRST
 

PEQUIM, 4 Dez (Reuters) - A China rejeitou cinco carregamentos de milho dos Estados Unidos que continham variedades de grãos geneticamente modificados não aprovados pelo ministério da Agricultura do país, uma medida que pode desencorajar importações em meio a um crescente excedente da oferta doméstica.

Segundo operadores, o fantasma de novas rejeições poderia gerar uma forte queda nas novas ordens de compras chinesas do milho dos EUA, pressionando os preços globais, que já caíram cerca de 40 por cento neste ano.

Carregamentos totalizando 120.642 toneladas --maior volume de cereais rejeitado pela China já registrado-- continham a variedade não aprovada de milho MIR 162, resistente a insetos, disse a Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (Aqsiq, na sigla em inglês) em seu website nesta quarta-feira (www.aqsiq.gov.cn).

A entidade também disse que havia dito aos EUA para melhorar seus procedimentos de inspeção a fim de garantir que o país cumpra com os padrões de qualidade da China.

As descobertas mais recentes de transgênicos foram feitas nos portos em Fuzhou, Shenzhen e Shandong, disse a Aqsiq.

Quase 2 milhões de toneladas do milho dos EUA estão atualmente a caminho da China, e podem enfrentar rigorosos testes para detecção de MIR 162, que Pequim não aprovou para importação, mas que está na cadeia de abastecimento dos EUA desde 2011. A variedade já é enviada para Japão, Coreia do Sul, Rússia e até mesmo para a União Europeia, que é notoriamente lenta na aprovação de variedades de grãos transgênicos.

(Reportagem de Niu Shuping e David Stanway)