Dólar sobe 0,42% e, de olho no Fed e no BC, mercado testa nível de R$2,40

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013 17:29 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 4 Dez (Reuters) - O dólar fechou em alta nesta quarta-feira, na máxima em mais de três meses, acelerando os ganhos nos minutos finais do pregão com investidores testando o nível de 2,40 reais, sob a expectativa de quando a redução dos estímulos monetários dos Estados Unidos começará.

Segundo analistas, a tendência para a divisa norte-americana ainda é de alta, e deve voltar a superar o nível de 2,40 reais em breve. O dólar operava pouco acima desse patamar quando o Banco Central anunciou em agosto seu programa de intervenções diárias no câmbio, que ajudou a reverter a tendência de valorização do dólar.

A moeda norte-americana avançou 0,42 por cento, a 2,3890 na venda, perto da máxima do dia de 2,3928 reais. É a maior cotação de fechamento desde 22 de agosto, quando ficou em 2,4320 reais. Segundo dados da BM&F, o volume de negociação ficou em torno de 1,15 bilhão de dólares.

"O mercado está muito sensível, num fim de ano complicado. Tem sazonalidade com remessa de dividendos, tem expectativa de redução dos estímulos nos EUA", afirmou o especialista em câmbio da Icap, Italo dos Santos.

A criação do emprego no setor privado dos Estados Unidos mostrou que foram abertos 215 mil postos de trabalho em novembro, superando as expectativas de economistas consultados pela Reuters de um aumento de 173 mil.

O resultado sugere atividade econômica mais forte nos EUA, favorecendo as apostas de que o banco central norte-americano, começará a reduzir seu programa de compra de ativos, no valor de 85 bilhões de dólares mensais, em breve. E isso dá fôlego ao dólar.

No início da sessão, porém, o dólar chegou a registrar queda mais acentuada ante o real, chegando mínima de 2,3638 reais, devolvendo parte dos ganhos das sessões anteriores. Nos três pregões anteriores, a divisa norte-americana acumulou alta de 2,7 por cento, diante da retração do Produto Interno Bruto (PIB) e da deterioração das contas públicas do país, que deixou investidores cautelosos sobre a saúde da economia brasileira.

No entanto, o dólar ganhou fôlego na última hora do pregão, com investidores aproveitando as condições de volume reduzido, típicas do fim do dia, para testar o nível de 2,40 reais.   Continuação...