BC britânico mantém política com melhora da perspectiva de crescimento

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013 10:23 BRST
 

LONDRES, 5 Dez (Reuters) - O Banco da Inglaterra, banco central britânico, deixou a política monetária inalterada nesta quinta-feira, mantendo seu compromisso de deixar a taxa de juros na mínima recorde de 0,5 por cento até que a recuperação da Grã-Bretanha se estabeleça de modo mais firme.

O banco central fez o comunicado pouco depois de o ministro das Finanças, George Osborne, anunciar forte revisão para cima nas projeções oficiais de crescimento.

A Grã-Bretanha tem tido uma forte recuperação inesperada desde o início do ano, superando seus pares da zona do euro e tornando-se uma das economias avançadas de crescimento mais rápido no mundo com expansão anualizada acima de 3 por cento.

Entretanto, a economia permanece menor do era antes da crise financeira e o BC sinalizou que não tem pressa para remover seu estímulo.

Sob Mark Carney, o canadense que assumiu o comando do banco em julho, o BC vem dizendo que não irá pensar em elevar os juros até que a taxa de desemprego caia para 7 por cento.

Carney e outras autoridades têm destacado que o limiar de 7 por cento não é um gatilho automático depois que o impulso atual de crescimento ajudou a pressionar a taxa de desemprego mais rapidamente do que o banco central britânico havia previsto.

Em reunião de dois dias que terminou nesta quinta-feira, o Comitê de Política Monetária do BC optou por não alterar seu programa de compra de ativos de 375 bilhões de libras (603 bilhões de dólares), como era esperado por todos os economistas que participaram de pesquisa da Reuters.

O banco começou a comprar títulos em março de 2009 para sustentar uma economia prejudicada pela recessão e pelos altos níveis de dívida. O BC vem indicando que não começará a revender os títulos até que as taxas de juros tenham retornado para um nível mais normal.

(Reportagem de Christina Fincher)