Primeiro-ministro da Austrália rejeita pedido de ajuda da Qantas

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013 11:35 BRST
 

Por Jane Wardell e Ian Chua

SYDNEY, 6 Dez (Reuters) - O primeiro-ministro australiano Tony Abbott rejeitou um pedido de ajuda da Qantas Airways nesta sexta-feira, dizendo que subsidiar a combalida linha aérea seria "um buraco sem fundo", conforme a classificação de risco da companhia foi relegada a status de junk.

O rebaixamento pela Standard & Poor's segue um surpreendente alerta de prejuízos emitido pela companhia aérea na quinta-feira que derrubou suas ações para o recorde de perdas em um dia em quase 18 meses. A Moody's também disse que poderia cortar sua classificação sobre a Qantas para abaixo de grau de investimento.

Os comentários de Abbott sugerem que o presidente-executivo da Qantas, Alan Joyce, quebrou pouco gelo com ligações telefônicas para os ministros do governo na quinta-feira em busca de uma medida urgente para auxiliar a empresa, alegando que sua agressiva rival Virgin Australia Holdings tinha uma vantagem injusta.

"O argumento que eu faço é que se concedermos subsídios à Qantas, por que não fazemos o mesmo para todos?" disse Abbott em uma entrevista na estação de rádio 3AW de Melbourne. "Se dermos subsídios para todos, isso é só um poço sem fundo no qual vamos descer."

A Qantas alertou na quinta-feira que estima prejuízo antes de impostos entre 250 milhões de dólares australianos (226 milhões de dólares) e 300 milhões de dólares australianos nos seis meses até 31 de dezembro.

A S&P disse que o alerta fez com que o perfil de risco financeiro da companhia aérea se deteriorasse, acrescentando que pode cortar a classificação da Qantas novamente.

 
O presidente-executivo da Qantas Airways, Alan Joyce, anuncia os resultados anuais da companhia durante uma coletiva de imprensa em Sydney. O primeiro-ministro australiano Tony Abbott rejeitou um pedido de ajuda da Qantas nesta sexta-feira, dizendo que subsidiar a combalida linha aérea seria "um buraco sem fundo", conforme a classificação de risco da companhia foi relegada a status de junk. 29/08/2013 REUTERS/David Gray