ENTREVISTA-Evans, do Fed, diz estar aberto à redução de estímulo em dezembro, mas prefere esperar

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013 17:14 BRST
 

Por Ann Saphir

CHICAGO, 6 Dez (Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Chicago, Charles Evans, afirmou nesta sexta-feira que está com a "mente aberta" para a redução do programa de compra de ativos do banco central norte-americano neste mês, mas que gostaria ver primeiro um mercado de trabalho mais forte.

Ao ser questionado se o forte relatório de emprego de novembro dos Estados Unidos seria suficiente para colocar a redução das compras de ativos em discussão na reunião do Fed deste mês, Evans disse que o dado mostra que a economia está caminhando na direção correta.

Os empregadores norte-americanos criaram 203 mil novas vagas fora do setor agrícola no mês passado, informou o Departamento do Trabalho nesta sexta-feira, resultado que ficou acima das previsões de 180 mil e que reduziu a taxa de desemprego para o menor patamar em cinco anos, a 7 por cento.

"Estarei com a mente aberta", afirmou em entrevista à Reuters Insider. "Se todo o resto ficar igual, eu gostaria de ver mais alguns meses de bons números, mas este foi uma melhora."

Integrante com direito a voto na reunião de política monetária do Fed neste ano, Evans tem sido um defensor dos esforços do BC norte-americano de dar fôlego ao crescimento econômico depois da recessão de 2007-09.

Ele reiterou sua visão de que o Fed deve oferecer maior clareza sobre a trajetória das taxas de juro, o que poderia compensar uma eventual redução gradual nas compras de títulos.

Uma maneira de fazer isso, disse, seria o Fed prometer que não vai elevar os juros até que a taxa de desemprego caia para 6 por cento. Atualmente, o Fed prometeu manter as taxas perto de zero até o desemprego atingir 6,5 por cento.

Para Evans, se a diretriz do desemprego for reduzido na mesma reunião em que diminuir as compras de títulos, os "mercados financeiros veriam isso como algo neutro, mantendo o mesmo nível de acomodação".