Nike e Adidas disputam espaço publicitário na Copa de 2014

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013 18:20 BRST
 

Por Victoria Bryan

FRANKFURT, 6 Dez (Reuters) - Quando as seleções se enfrentarem na Copa do Mundo no ano que vem no Brasil, outra luta pela supremacia global será disputada fora dos campos - entre Adidas e Nike.

Tudo estará em jogo na próxima rodada dessa briga. Atualmente a Nike possui 14,5 por cento do mercado global de artigos esportivos, comparados aos 11,4 por cento da Adidas, e está corroendo a primeira posição da marca alemã na Europa. A Adidas detinha 13,2 por cento do mercado de artigos esportivos no Leste Europeu em 2012, e a Nike, 12,4 por cento, de acordo com dados da Euromonitor.

"Não é fácil avaliar as coleções (do ano que vem). A Adidas com certeza está se esforçando muito para ganhar terreno perdido, mas uma empresa como a Nike não vai ficar sentada nos próprios louros", disse Hans Allmendinger, chefe de marketing da Sport2000, vendedora alemã de artigos esportivos.

Há mais de 40 anos a Adidas orna uniformes e chuteiras com seu logotipo inconfundível de listras paralelas. Tem parcerias fortes para o desafio adiante: uma relação próxima com o clube Bayern de Munique, do qual possui 9 por cento, e com a Fifa, para a qual produz conjuntos oficiais da Copa do Mundo.

A Adidas prevê vendas recordes de mais de 2 bilhões de euros em artigos de futebol em 2014 e almeja reforçar as vendas globais para 17 bilhões de euros (23 bilhões de dólares) em 2015.

A norte-americana Nike, entretanto, só entrou no mercado de futebol em 1994, mas já tem várias parcerias de peso com clubes, entre eles o atual campeão inglês, Manchester United.

A empresa não faz previsões para categorias esportivas específicas, mas antevê vendas globais de até 30 bilhões de dólares para 2015 - insinuando achar que pode ter um desempenho suficientemente bom durante a Copa do Mundo para ampliar sua liderança global sobre a rival alemã - e talvez batê-la também em casa.

No primeiro trimestre fiscal de 2013 (encerrado em 31 de agosto nos EUA), a Nike divulgou um aumento de 8 por cento em vendas na Europa. No mesmo período, as vendas europeias da Adidas caíram 7 por cento.   Continuação...