10 de Dezembro de 2013 / às 21:03 / 4 anos atrás

Governo controla oferta de diesel após parada da Repar, diz ANP

Por Sabrina Lorenzi e Jeb Blount

RIO DE JANEIRO, 10 Dez (Reuters) - A oferta de diesel está sendo controlada no Sul do país, com distribuidores tentando comprar mais combustível devido à paralisação da refinaria Repar, da Petrobras, afirmou nesta terça-feira a autoridade reguladora do abastecimento no Brasil.

"Estamos tentando evitar corrida... com controle da oferta", disse a diretora-geral da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP), Magda Chambriard, em entrevista à Reuters.

Um incêndio na Repar, no Paraná, no final de novembro, interrompeu o processamento de petróleo e danificou parte da estrutura da unidade de destilação da refinaria.

A previsão da Petrobras é retomar as atividades na refinaria no dia 14 de dezembro, mas trabalhadores afirmam que a normalidade da produção só será atingida no final deste mês.

A Petrobras está importando mais derivados para dar conta de substituir a produção da refinaria que responde por cerca de 10 por cento do abastecimento do país.

Mais cedo, uma fonte do setor disse à Reuters que distribuidoras de combustíveis estão limitando vendas para postos no Paraná e Santa Catarina após a paralisação da refinaria Repar.

As vendas têm sido limitadas diante da grande demanda, segundo a fonte, que pediu para não ser identificada.

DUTO TRAZ ALÍVIO

A ANP autorizou a Petrobras a usar um duto que transporta petróleo para operar com diesel importado, para evitar desabastecimento no Sul do país, diante do incêndio que paralisou a refinaria no Paraná.

O diesel importado já está sendo bombeado no duto, para ser transportado na quinta-feira, o que deverá normalizar o mercado da região, disse Magda.

A ANP e a Petrobras estão trabalhando com distribuidores de combustíveis para assegurar o abastecimento de gasolina, diesel e outros combustíveis que são fornecidos aos clientes da refinaria, particularmente no Sul do país.

A produção da Repar abastece 85 por cento dos mercados de Santa Catarina e Paraná e parte de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

IMPORTAÇÕES

A Petrobras poderá ter um gasto adicional de até 1,3 bilhão de reais com importações de diesel e gasolina por causa da paralisação da Repar.

O valor, calculado pelo Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE) a pedido da Reuters, representa cerca de 70 por cento do total que a Petrobras gastou mensalmente com importações de diesel e gasolina, em média, de janeiro a outubro, para dar conta do abastecimento dos dois produtos no país.

A conta considera que a produção da Repar continuará interrompida até o final de dezembro, previsão do sindicato que representa os trabalhadores na região, após o incêndio ocorrido no dia 28 de novembro.

De janeiro a outubro, a refinaria produziu em média 101 mil barris de óleo diesel e 59 mil barris de gasolina por dia, volume que supera a importação média brasileira de gasolina de janeiro a outubro, de 55,6 mil barris por dia, segundo o CBIE.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below