Negociadores dizem que nova lei agrícola dos EUA será atrasada para janeiro

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 09:56 BRST
 

WASHINGTON, 11 Dez (Reuters) - Os quatro principais negociadores da nova lei agrícola dos EUA, já com um ano de atraso, disseram na terça-feira que não irão concluir seus trabalhos sobre a legislação para reduzir o auxílio de alimentação aos pobres e ampliar o seguro agrícola para os agricultores até janeiro.

Após uma hora de reunião, os líderes disseram que a lei agrícola, que aborda assuntos desde subsídios a exportações agrícolas e auxílio alimentar, não está pronta para ser implantada antes de o Congresso suspender suas atividades pelo ano.

Os trabalhos no projeto de lei foram adiados diversas vezes desde meados de 2012 por exigências de cortes profundos nos cupões de alimentação. Conservadores no Congresso pedem pelos maiores cortes em uma geração, de 40 bilhões de dólares em 10 anos. Em sua versão do projeto de lei, o Senado propôs 4,5 bilhões de dólares em cortes.

"Nós estaremos prontos para votar em janeiro", disse Debbie Stabenow, responsável por presidir o Comitê de Agricultura do Senado, a repórteres.

(Reportagem de Charles Abbott)