Itaú negocia compra do Chileno Corpbanca, diz presidente do BBA

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013 16:24 BRST
 

SÃO PAULO, 11 Dez (Reuters) - O presidente do Itaú BBA, banco de investimentos do Itaú Unibanco, Candido Bracher, confirmou nesta quarta-feira que o grupo negocia a compra do banco chileno Corpbanca, mas que não está interessado em uma participação minoritária.

"Estamos negociando este banco e temos uma confiança grande em comprar, mas temos competidores", disse o executivo durante evento com jornalistas, na primeira confirmação oficial do banco sobre o tema.

O banco chileno já havia divulgado a negociação com várias instituições financeiras.

Duas fontes afirmaram à Reuters no início do mês que o Corpbanca deveria chegar a um acordo nos próximos dias sobre fusão com um banco com atuação internacional, com o espanhol BBVA e o Itaú Unibanco assumindo a dianteira das negociações.

Os executivos do Itaú BBA informaram ainda que o banco está confiante em relação a projetos da area de infraestrutura, que devem movimentar investimentos de 30 bilhões de reais nos próximos cinco anos, ante volume atual de 12 bilhões de reais.

O banco de investimentos tem mandatos para 47 projetos de infraestrutura em diferentes áreas - incluindo energia e óleo e gás - e pretende captar 15 novos mandatos em 2014, quando outros 10 serão concluídos. O saldo será de cinco projetos a mais na carteira.

Na área de fusões e aquisições, o BBA prevê maior atividade de fundos de private equity e soberanos, enquanto os investidores estratégicos ficarão mais cautelosos.

"Os fundos de private equity estão mais atuantes no Brasil, e devem ser incentivados pela maior hesitação dos investidores estratégicos em um ano de eleição", disse o vice-presidente executivo do Itaú BBA, Jean-Marc Etlin. "São forças contrárias que vão impactar o mercado de fusões e aquisições."

As ofertas de ações de companhias brasileiras devem apresentar um ritmo similar ao registrado em 2013 no ano que vem, acrescentou o executivo. "Não esperamos um cenário muito melhor nem pior", afirmou. O Ibovespa tem potencial para chegar a 67 mil pontos em 2014, desde que as condições macroeconômicas sejam favoráveis, informou o banco.   Continuação...