Embraer diz que acordo com American Airlines não inclui recompra de jatos antigos

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013 17:28 BRST
 

Por Cesar Bianconi

SÃO PAULO, 12 Dez (Reuters) - A Embraer disse nesta quinta-feira que o contrato para a venda de até 150 novos aviões E175 para a American Airlines (AA) não inclui acordo de recompra de jatos antigos da frota da companhia aérea norte-americana, uma preocupação de alguns analistas pelo efeito que isso teria nas margens da empresa brasileira.

Importantes companhias aéreas dos Estados Unidos anunciaram, desde o fim de 2012, grandes encomendas de aeronaves na faixa de 70 lugares para substituição e renovação de suas frotas de jatos regionais menores. Mas pelo menos um desses contratos previa a recompra de aeronaves antigas da companhia aérea pela fabricante.

A Embraer anunciou nesta manhã uma encomenda firme da AA por 60 aviões E175 e opções de compra para outras 90 aeronaves do mesmo modelo.

A canadense Bombardier, principal rival da Embraer, fechou há um ano acordo para venda de até 70 aviões à Delta Air Lines, assumindo o compromisso de receber de volta 60 aviões usados de 50 passageiros que foram fabricados por ela.

Desde então, cada anúncio de venda de jatos regionais a empresas aéreas dos EUA levanta temores entre analistas em relação às contrapartidas oferecidas pelas fabricantes para assegurarem os novos contratos.

A Bombardier também recebeu nesta quinta-feira um pedido firme da AA, porém menor, envolvendo 30 aviões CRJ900, com mais 40 opções.

Antes do acordo com a AA, a Embraer fechou neste ano vendas nos EUA para Republic Airways, United Airlines e SkyWest. A assessoria de imprensa da Embraer disse que nenhum desses negócios contempla a devolução de jatos antigos para a fabricante.

O analista Stephen Trent, da Citi Research, escreveu em relatório que havia o risco de a Embraer ter concordado em recomprar aviões antigos de 50 assentos, o que envolveria custos extras para a fabricante.   Continuação...

 
Funcionário trabalha na linha de montagem da Embraer, em São José dos Campos, São Paulo. A Embraer disse nesta quinta-feira que o contrato para a venda de até 150 novos aviões E175 para a American Airlines (AA) não inclui acordo de recompra de jatos antigos da frota da companhia aérea norte-americana, uma preocupação de alguns analistas pelo efeito que isso teria nas margens da empresa brasileira. 14/05/2013. REUTERS/Nacho Doce