Repar voltará a produzir com capacidade limitada, diz ANP

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 13:59 BRST
 

Por Sabrina Lorenzi

RIO DE JANEIRO, 13 Dez (Reuters) - A Refinaria Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, vai operar com dois terços da carga usualmente processada quando retomar a produção, afirmou uma autoridade do órgão regulador brasileiro.

A produção plena da refinaria da Petrobras não poderá ser atingida logo porque uma das colunas da unidade de destilação está danificada, bem como o condensador, equipamento que faz o resfriamento nesta etapa do refino, afirmou à Reuters o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), Waldyr Martins Barroso.

Um incêndio na Repar, no final de novembro, interrompeu o processamento de petróleo.

A previsão da Petrobras é retomar as atividades na refinaria no dia 17 de dezembro a plena carga.

"A situação de abastecimento está sob controle. O que estamos acompanhando é a obra na refinaria", afirmou à Reuters Barroso, que é responsável pela área de refino da agência.

Para a ANP, a causa do acidente já foi identificada: o uso de um tipo de aço inadequado, mais fraco para uma suportar as elevadas temperaturas de uma refinaria.

A Petrobras está importando mais derivados para dar conta de substituir a produção da refinaria, que responde por cerca de 10 por cento do abastecimento do país.

Procurada, a Petrobras não comentou imediatamente as informações da ANP.