Zona do Euro propõe divisão gradual de custos com fechamento de bancos

domingo, 15 de dezembro de 2013 14:44 BRST
 

BRUXELAS, 15 Dez (Reuters) - O custo de fechar um banco da zona do euro será inicialmente quase que integralmente sustentado por seu país de origem, mas as obrigações dos outros membros do grupo irão aumentar gradualmente até que os encargos sejam partilhados após 10 anos, sob os termos de uma proposta da UE vista pela Reuters.

A proposta, elaborada pela Lituânia, que atualmente detém a presidência rotativa da União Europeia, será discutida em uma reunião extraordinária de altos funcionários da União Europeia em Bruxelas, na segunda-feira, 16 de dezembro.

Separadamente, vários ministros das finanças europeus e altos funcionários da UE se reunirão novamente em Berlim na segunda-feira para tentar avançar mais em um acordo que crie regras para encerrar as atividades de bancos em dificuldades, disseram fontes graduadas da zona do euro à Reuters neste domingo.

O encontro irá, em essência, incluir o mesmo grupo de ministros das Finanças e altos funcionários que se reuniram em Berlim, em 6 de dezembro, disseram as fontes.

Depois de uma tempestade financeira que derrubou os bancos e prejudicou países da Irlanda à Espanha, as nações estão considerando um novo projeto para definir o que fazer quando um banco falhar, o segundo pilar fundamental de uma reforma mais ampla apelidada de "união bancária".

Segundo a proposta, os custos com o fechamento de um banco no primeiro ano de operação seriam totalmente cobertos por um fundo criado pelo país de origem, onde o banco reside.

Tais fundos seriam criados em todos os países da zona do euro, e cada um seria preenchido a partir de taxas pagas pelos bancos nos respectivos países, somando a cada ano 0,1 por cento de todos os depósitos cobertos que detiverem.

Tais fundos atingiriam seu tamanho final de 1 por cento de todos os depósitos abrangidos após 10 anos. No primeiro ano, cada um teria apenas 0,1 por cento de todos os depósitos abrangidos de um país da zona do euro, em seguida 0,2 por cento no segundo ano, e assim por diante.

Se o dinheiro acumulado das tarifas bancárias em um país de origem no primeiro ano for insuficiente para financiar o fechamento de um banco, os fundos dos outros países da zona do euro deverão contribuir com até 10 por cento de seu dinheiro acumulado para ajudar.   Continuação...