Sucesso de reforma do petróleo no México depende de autonomia a empresas

domingo, 15 de dezembro de 2013 18:21 BRST
 

Por Marianna Parraga e Terry Wade

HOUSTON, 15 Dez (Reuters) - O sucesso do México na abertura a investimentos de seu estagnado setor de petróleo dependerá de quanta autonomia oferecer para as empresas estrangeiras, que têm muitas outras opções em todo o mundo, disseram analistas à Reuters.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, que obteve uma vitória na quinta-feira, quando o Congresso aprovou novo marco de energia, espera que as empresas estrangeiras ajudem a reverter uma década de declínio na produção da petrolífera estatal Pemex .

"O México está chegando pelo menos cinco anos de atraso com esta reforma ", disse o consultor de energia Roger Tissot, baseado no Canadá . "As empresas multinacionais têm carteiras consolidadas, por isso exigem grandes incentivos para escolher o México".

As principais empresas petrolíferas, incluindo a Chevron e a Exxon Mobil Corp, manifestaram amplo apoio às reformas, mas as decisões finais de investimento dependem de como as novas regras serão implementadas.

"Não acho que já esteja claro se as empresas de capital aberto moverão investimentos para o México", disse o especialista Kenneth Medlock, do centro de estudos de energia na Universidade Rice, em Houston.

E há mais variáveis ​​que poderiam pesar sobre os investidores. Por exemplo regras pouco claras sobre se as petroleiras poderão contabilizar o óleo em seus balanços de vendas, se haverá regras de conteúdo local para as empresas de serviços de petróleo, se as empresas poderão ser operadoras quando formarem parceria com a Pemex.

"O que interessa em particular às empresas é que não haja obrigação de uma parceria com a Pemex , sendo o estado maioria acionária, que se possa dispor livremente de uma cota de exportação ...", disse Tissot.

(Tradução Redação Rio de Janeiro 55 21 2223-7157)

REUTERS SL