16 de Dezembro de 2013 / às 22:13 / 4 anos atrás

MT eleva previsão de safra 13/14 de algodão; área cresce 28,7%--Imea

SÃO PAULO, 16 Dez (Reuters) - O Mato Grosso, principal produtor de algodão do Brasil, vai semear 582 mil hectares na temporada 2013/14, crescimento de 28,7 por cento na comparação com a safra passada, previu nesta segunda-feira o instituto que reúne os agricultores no Estado(Imea).

O instituto elevou ligeiramente a sua previsão nesta segunda-feira, num momento em que o plantio no Estado está em fase inicial. Anteriormente, a estimativa apontava uma área de 581 mil hectares.

O plantio cresce expressivamente de uma temporada para a outra em função de muitos produtores estarem preferindo o algodão ao milho na segunda safra, prevendo melhor remuneração com a pluma.

”O que contribuiu para isso foi a situação desfavorável do mercado de milho, produtores que possuem know-how com algodão ou têm em sua região acesso à tecnologia da cultura optaram por substituir parte do milho pela fibra, afirmou o Imea.

Em condições normais de clima, a safra de Mato Grosso deve atingir 835 mil toneladas, contra 687 mil toneladas da temporada passada.

Muitos cotonicultores iniciam o plantio esta semana, com a intenção de semear o algodão primeira safra que deve chegar a 191 mil hectares. “A segunda safra ganhou mais representatividade, chegando a 391 mil hectares, o que deixa a distribuição entre 1ª e 2ª safra em 33,4 por cento e 66,6 por cento, respectivamente...”

O plantio de algodão em Mato Grosso atingiu 2,7 por cento da área prevista para a atual temporada até a última sexta-feira, segundo acompanhamento do Imea.

No mesmo período do ano passado, haviam sido cultivados 4,4 por cento da área total estimada com a pluma no Estado.

Na semana, houve um avanço 2,3 ponto percentual.

A semeadura teve início na semana passada com o fim do vazio sanitário no Estado, uma medida preventiva para evitar a propagação de pragas e doenças de um ciclo para o outro.

A área cultivada no país deve ter alta de 20 por cento ante o ciclo anterior, para cerca de 1 milhão de hectares, segundo levantamento mais recente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

“A expectativa de firme demanda por algodão de boa qualidade sustenta o preço internacional... O produtor está confortável neste ano para aumentar a área”, disse o analista da Conab Fernando Gomes da Motta.

O analista acrescentou ainda que o dado recente do Departamento de Agricultura norte-americano (USDA, na sigla em inglês) apontando uma retração na produção global é outro fator de estímulo ao produtor brasileiro.

Ele observou que o preço médio do algodão no mercado físico brasileiro estava 87,49 reais por arroba até a última sexta-feira, acima dos 83,33 reais por arroba em média na mesma semana um ano atrás.

O cenário de preços mais baixos no milho, em meio a grande safra norte-americana, é um dos fatores que está fazendo o produtor brasileiro migrar para o algodão.

Por Fabíola Gomes e Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below