Pão de Açúcar quer abrir mais de 640 lojas até 2016 e consolidar liderança

terça-feira, 17 de dezembro de 2013 17:19 BRST
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO, 17 Dez (Reuters) - O Grupo Pão de Açúcar, o maior grupo varejista do país, pretende abrir cerca de 646 novas lojas nos próximos três anos e consolidar ou alcançar a liderança nos mercados em que opera, inclusive no varejo online, de acordo com plano estratégico para o período 2014-16 apresentado nesta terça-feira.

O grupo, controlado pelo francês Casino, também pretende ganhar eficiência para reduzir as despesas operacionais a 17 por cento das vendas líquidas em 2016, frente aos atuais 19,6 por cento, e fazer um controle rigoroso das despesas financeiras.

O plano de expansão para a companhia no varejo alimentar engloba a abertura de cerca de 400 lojas nos próximos três anos, sendo 360 no formato Minimercado. Para o formato Extra Hiper/Super há a expectativa de abertura de 20 novas lojas, além de outras 20 para o formato Pão de Açúcar.

No caso dos hipermercados, o Pão de Açúcar prevê aumentar sua atratividade por meio do fortalecimento das galerias (malls), de acordo com o documento enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Na semana passada, o GPA Malls, unidade de negócios imobiliários do Grupo, inaugurou em Belo Horizonte seu segundo empreendimento da bandeira Conviva, de shoppings de vizinhança, com investimento inicial de 16 milhões de reais.

Nos próximos três anos, a empresa vê alta nas vendas do varejo alimentar acima da inflação no conceito "mesmas lojas" (abertas há mais de 12 meses) e manutenção da margem Ebitda --sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização.

Para a Nova Pontocom, de varejo online, a intenção é atingir a liderança do mercado brasileiro nos próximos três anos, capturando um maior potencial de crescimento fora do eixo Rio-São Paulo

No caso do atacarejo, a perspectiva é que a bandeira Assaí ganhe de 12 a 15 novas lojas por ano até 2016, e que expanda sua atuação para 20 unidades federativas.   Continuação...