BP faz baixa contábil de US$1 bi por poço não comercial no Brasil

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 10:24 BRST
 

LONDRES, 18 Dez (Reuters) - No mesmo dia em que a petroleira britânica BP anunciou uma descoberta de petróleo significativa no prospecto Gila, em águas profundas no Golfo do México, nos Estados Unidos, a companhia registrou também uma baixa contábil de 1,08 bilhão de dólares por um poço não comercial no Brasil.

A baixa contábil --sinalizada em atualização de informações de exploração do quarto trimestre-- terá efeito nos resultados do período, a serem divulgados em 4 de fevereiro, disse um porta-voz.

Segundo a BP, foram encontrados indícios de hidrocarbonetos no poço Pitanga, no bloco BM-CAL-13, na Bacia de Camamu-Almada, na costa da Bahia, mas sem quantidades comerciais de petróleo ou gás.

Cerca de 850 milhões de dólares da baixa contábil serão incluídos como ativo não operacional, porque o poço era parte de uma aquisição de um pacote de ativos da Devon Energy em 2010, em um total de 7 bilhões de dólares.

A parte brasileira do pacote foi avaliada na época em 3,2 bilhões de dólares.

Os 230 milhões de dólares restantes da baixa contábil --que se referem a despesas de exploração-- serão incluídos em item operacional.

A BP vai abandonar o bloco.

GOLFO DO MÉXICO

"A descoberta em Gila é mais um sinal de que o ímpeto está retornando às operações de perfuração e execução de poços da BP no Golfo do México", disse Richard Morrison, presidente regional do negócio da BP no Golfo do México.

A BP, que é coproprietária de Gila com a ConocoPhillips, disse que uma perfuração de um poço de avaliação será necessária para determinar o tamanho e o potencial de viabilidade comercial da descoberta.

(Por Neil Maidment)