Zona do euro chega a acordo sobre recursos para fechar bancos

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 10:34 BRST
 

BRUXELAS, 18 Dez (Reuters) - Ministros das Finanças da zona euro fizeram progressos nesta quarta-feira em alguns detalhes de um plano para fechar bancos, abrindo o caminho para a conclusão de um 'sindicato bancário" da zona do euro, para restaurar a confiança no setor financeiro e impulsionar o crescimento.

Mais de cinco anos depois de uma tempestade financeira que atingiu os bancos e levou à recessão países como Irlanda e Espanha, a Europa quer selar seu maior projeto desde a introdução do euro --uma estrutura para fiscalizar os bancos e resolver seus problemas conjuntos.

A chanceler alemã Angela Merkel destacou a importância das negociações para a conclusão do sindicato bancário, dizendo esperar que os ministros fechem o acordo antes de ela e outros líderes da União Europeia se reunirem na quinta-feira.

"Para a aceitação do euro nos mercados financeiros, o sindicato bancário é muito importante", disse Merkel na terça-feira.

Isso dá aos ministros das Finanças 36 horas para acertarem um acordo geral sobre uma agência e um fundo para fechar bancos fracos para complementar a supervisão do Banco Central Europeu sobre o setor, se os líderes da União Europeia precisam assinar o acordo ainda nesta semana.

Chegou-se a um acordo sobre uma parte crucial do projeto na madrugada desta quarta-feira após sete horas de negociações -- como assegurar financiamento para fechar bancos.

Este acerto aumenta as chances de um acordo geral sobre o plano para lidar com instituições financeiras quebradas mais tarde na quarta-feira --a tempo do prazo final definido por Merkel e outros líderes da UE e aumentando as chances de que a reforma se concretizará em 2015.

Sob o acordo, os bancos irão fornecer o dinheiro para pagar pelo fechamento de instituições falidas, dando cerca de cerca de 55 bilhões de euros (76 bilhões de dólares) no acumulado de 10 anos em um Fundo de Resolução Única.

Até lá, no entanto, caso não haja dinheiro suficiente originado das taxas, os governos poderão impor mais encargos sobre os bancos. Caso isso não seja suficiente, os governos ajudariam com dinheiro público.

Se um governo não tiver dinheiro suficiente, ele poderá pegar emprestado do fundo de resgate da zona do euro (ESM, na sigla em inglês), como fez o governo espanhol em 2012 para recapitalizar seus bancos, segundo o acordo acertado pelos ministros de Finanças da zona do euro.

(Por Jan Strupczewski e Martin Santa)