Brasil prevê investir US$4,5 bi na compra de 36 caças da sueca Saab

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013 21:17 BRST
 

Por Jeferson Ribeiro

BRASÍLIA, 18 Dez (Reuters) - O Brasil decidiu que comprará 36 caças da empresa sueca Saab, com investimento previsto de 4,5 bilhões de dólares até 2023 e colocando fim a um processo de concorrência que se arrastava há mais de uma década.

O caça Gripen NG, da Saab, era finalista na disputa com o Rafale, da francesa Dassault, e o F-18 Super Hornet, da norte-americana Boeing.

A disputa foi marcada por muitas idas e vindas, com cada uma das proponentes aparecendo como favorita em diferentes momentos da licitação. O comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Juniti Saito, disse que a presidente Dilma Rousseff lhe informou sobre sua decisão pela Saab na noite de terça-feira.

As empresas só foram informadas depois que o governo anunciou a decisão, no final da tarde desta quarta-feira, segundo Saito.

"Estou extremamente orgulhoso da confiança que o governo brasileiro colocou no Gripen NG... Estamos preparados para iniciar a colaboração industrial como planejado, com os seus efeitos positivos para a indústria brasileira", disse o CEO da Saab, Hakan Buskhe, em nota.

O ministro da Defesa, Celso Amorim, disse em entrevista coletiva que a escolha da fornecedora de caças foi muito cuidadosa e levou em conta performance, transferência efetiva de tecnologia e custos.

"A escolha se baseia no melhor equilíbrio desses três fatores", afirmou o ministro.

Segundo Amorim, o Brasil iniciará agora a fase de negociação do contrato com a Saab, o que deve levar entre 8 meses e 12 meses até a assinatura. O recebimento dos primeiros caças é esperado pela FAB em 48 meses depois disso. A partir daí, a expectativa é de que cerca de 12 caças por ano sejam entregues ao Brasil.   Continuação...

 
O ministro da Defesa, Celso Amorim, anuncia que o governo brasileiro escolheu comprar o caça Gripen NG, da empresa sueca Saab, para renovar a frota da Força Aérea Brasileira, em Brasília, nesta quarta-feira. 18/12/2013 REUTERS/Ueslei Marcelino