Vendas de moradias usadas nos EUA caem, pedidos de auxílio-desemprego avançam

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013 14:47 BRST
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON, 19 Dez (Reuters) - As vendas de moradias usadas nos Estados Unidos atingiram mínima em quase um ano em novembro e as novas solicitações de auxílio-desemprego aumentaram inesperadamente na semana passada, colocando um peso em um cenário econômico outrora otimista.

A Associação Nacional de Corretores (NAR, na sigla em inglês) informou nesta quinta-feira que as vendas de moradias usadas caíram 4,3 por cento no mês passado, para taxa anual de 4,90 milhões de unidades. Esse foi o menor nível desde dezembro do ano passado e foi a terceira queda mensal seguida.

Separadamente, o Departamento do Trabalho informou que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego aumentaram em 10 mil, para 379 mil segundo dados ajustados sazonalmente. Foi o maior nível desde março.

Os relatórios foram divulgados um dia depois que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, deu à economia um voto de confiança ao anunciar que irá reduzir seu programa de compra de títulos de 85 bilhões de dólares ao mês em 10 bilhões de dólares a partir de janeiro.

"Isso não é realmente bom. Temos que ver o que está acontecendo aqui", disse o presidente da Naroff Economic Advisors, Joel Naroff.

Economistas consultados pela Reuters esperavam que o número de vendas de moradias usadas caísse para um ritmo de 5,03 milhões de unidades em novembro e que os pedidos iniciais de auxílio-desemprego tivessem queda para 334 mil na semana passada.

As vendas de moradias têm sido afetadas pela alta nas taxas de juros desde a primavera (no hemisfério norte) e pelos aumentos de preços que afastaram alguns compradores de imóveis do mercado.

Mas a recuperação do mercado imobiliário permanece de maneira geral intacta conforme um crescimento estável da formação de famílias ante mínimas em várias décadas impulsiona a demanda e encoraja as construtoras a empreenderem novos projetos.   Continuação...