Dólar tem reação limitada ao Fed e sobe 0,3% ante o real

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013 17:27 BRST
 

Por Patrícia Duarte e Bruno Federowski

SÃO PAULO, 19 Dez (Reuters) - O mercado de câmbio amanheceu nesta quinta-feira inundado por notícias importantes, como o início da redução dos estímulos nos Estados Unidos e a extensão do programa de intervenções do Banco Central brasileiro, mas o dólar fechou o dia apenas com leve alta ante o real e, na avaliação de especialistas, não deve mostrar grandes oscilações no curto prazo.

A definição desses dois cenários trouxe alívio aos investidores, que passaram a ter mais previsibilidade para os negócios.

"A tendência é de o dólar ficar mais estável, em torno de 2,30, 2,35 reais", afirmou o superintendente de câmbio da corretora Advanced, Reginaldo Siaca, para quem o cenário atual de notícias "não tem nada de ruim".

A moeda norte-americana avançou 0,33 por cento, para 2,3503 reais na venda. Frente a uma cesta de divisas, o dólar avançava 0,61 por cento. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 1,8 bilhão de dólares.

A expectativa no mercado era que o dólar reagiria com uma alta mais forte à decisão do Federal Reserve de reduzir o programa de compra de ativos. "Aparentemente, aquela fumada que a gente esperava não veio. O corte não foi violento e agora a gente já sabe que o ritmo vai ser lento", afirmou um operador de câmbio que pediu anonimato.

Com o mercado de dólar à vista fechado, o banco central norte-americano decidiu iniciar seu processo de redução dos estímulos, mas deixou claro que as taxas de juros do país continuarão próximas de zero por muito tempo, o que traz mais tranquilidade aos mercados.

ATUAÇÃO CAMBIAL

O BC brasileiro anunciou na noite de quarta-feira a extensão de seu programa de intervenções no mercado cambial até meados de 2014, mas reduzindo a oferta de hedge e liquidez.   Continuação...