BC do Japão mantém estímulos pesados enquanto Fed inicia redução

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013 10:57 BRST
 

Por Leika Kihara e Stanley White

TÓQUIO, 20 Dez (Reuters) - O banco central do Japão manteve a política monetária nesta sexta-feira e sua avaliação de que a economia está se recuperando moderadamente, encorajado por crescentes sinais de que os benefícios de seu forte estímulo econômico estão se espalhando por setores mais amplos da economia.

Com o BC japonês mantendo sua política de afrouxamento mesmo com o Federal Reserve, banco central norte-americano, começando a reduzir seu próprio estímulo, a diferença de taxa de juros entre as duas economias ajudará a manter o iene fraco contra o dólar, dizem analistas.

Um iene fraco beneficia a economia japonesa dependente de exportações, e ajudará o BC do país a avançar para sua meta de inflação de 2 por cento dentro de dois anos para tirar o país de uma longa fase de deflação debilitante.

Como esperado, o BC votou por unanimidade para manter sua promessa de elevar a base monetária, ou dinheiro e depósitos no banco central, a um ritmo anual de 60 trilhões de ienes (581 bilhões de dólares) a 70 trilhões de ienes.

"A economia do Japão está se recuperando moderadamente", informou o banco central em comunicado anunciando a decisão, inalterado ante a avaliação do mês passado.

Mas o BC alterou ligeiramente sua avaliação sobre as perspectivas para sinalizar que está ciente do problemas potenciais para a economia de elevação do imposto nacional sobre vendas em abril do próximo ano.

"A economia deve continuar com uma recuperação moderada como tendência, embora seja afetada por um aumento e subsequente declínio na demanda antes e depois do aumento do imposto sobre consumo", informou. No mês passado, o BC do Japão disse que a economia deveria continuar se recuperando moderadamente.

O BC do Japão ofereceu um intenso estímulo monetário em abril, prometendo dobrar a oferta de dinheiro em dois anos ao elevar as compras de títulos do governo de ativos de risco. Desde então vem deixando inalterada a política monetária.

 
Presidente do Banco do Japão, Haruhiko Kuroda, escuta a pergunta de um repórter durante coletiva de imprensa na sede do banco, em Tóquio. O banco central do Japão manteve a política monetária nesta sexta-feira e sua avaliação de que a economia está se recuperando moderadamente, encorajado por crescentes sinais de que os benefícios de seu forte estímulo econômico estão se espalhando por setores mais amplos da economia. 20/12/2013. REUTERS/Yuya Shino