ENTREVISTA-Log aposta em diversificação geográfica e se prepara para IPO

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013 16:57 BRST
 

Por Juliana Schincariol

RIO DE JANEIRO, 20 Dez (Reuters) - Enquanto se prepara para ir à bolsa, a Log Commercial Properties, unidade de gestão de espaços comerciais do grupo MRV, vem se diversificando geograficamente para pegar carona em cidades de maior dinamismo e ficar menos dependente dos grandes centros, que passam por um momento de saturação.

Diante da competição mais acirrada em grandes centros da região Sudeste do país, a Log ampliou a atuação para cidades como Fortaleza (CE) e Goiânia (GO) e mapeou regiões para novas expansões. Neste mês, comprou 40 por cento da Parque Torino Imóveis, projeto de propriedades em Betim (MG).

Segundo o diretor-executivo da Log, Sérgio Fischer, várias cidades do Nordeste vêm crescendo acima da média nacional, enquanto no Sul muitas ainda são muito mal atendidas no ramo de incorporação e locação de centros de distribuição, condomínios industriais e condomínios logísticos, no qual é especializada.

"Vamos entender esta carência (...) e pegar a oportunidade em praças pouco exploradas e fazer a coisa virar", disse Fischer em entrevista à Reuters.

Segundo o executivo, em praças carentes, como Goiânia, Juiz de Fora e Fortaleza, os contratos são fechados conforme os preços pedidos em tabela, sem necessidade de renegociar valores.

A fraca atividade econômica do país vem promovendo intensa movimentação entre empresas no setor imobiliário, especialmente no ramo comercial, com algumas se desfazendo de ativos não estratégicos e outras tentando ganhar musculatura.

Em novembro, a BR Properties fechou sua maior venda de ativos, passando 34 imóveis industriais e de logística à WTGoodman por 3,18 bilhões de reais, para saldar dívidas. Meses antes, a Magazine Luiza vendeu 76,7 por cento de um centro de distribuição em Louveira (SP) para um fundo imobiliário da Kinea, por 205,5 milhões de reais.

E é nesse contexto que a companhia pretende se firmar. Criada em 2008, a Log já teve duas rodadas de capitalização, uma com a entrada da firma de investimento norte-americana Starwood Capital Group, em 2011, e neste ano com um fundo de private equity do Bradesco. Agora, o objetivo é fazer uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) tão logo possível.   Continuação...