China divulga plano anticorrupção com foco em protestos e reformas

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013 14:08 BRST
 

PEQUIM, 25 Dez (Reuters) - O Partido Comunista da China, que governa o país, divulgou nesta quarta-feira um plano de cinco anos para combater a corrupção generalizada, com atenção particular para as irregularidades que provocam protestos ou ocorrem no curso de reformas econômicas.

O presidente Xi Jinping, desde que assumiu o poder, tem buscado combater a corrupção, perseguindo os "tigres" das altas esferas, assim como as "moscas", das mais baixas, no governo, entre os militares, nas empresas estatais e nas universidades.

A agência anticorrupção do partido, a Comissão Central para a Disciplina e a Inspeção, disse em novembro que teria como alvo todas as altas autoridades, como parte de uma guerra profunda contra os subornos, um problema tão sério que, segundo Xi, ameaça a sobrevivência do partido.

O plano de cinco anos foi aprovado no fim de agosto, mas somente agora foi divulgado por completo, pela agência oficial de notícias Xinhua.

A comissão disse que o partido enfrenta testes para governar, para fazer as reformas e também o perigo de ficar muito distante da população, além do perigo da corrupção.

O partido deve "aprofundar os esforços relacionados à governança do partido, a um governo limpo e à luta contra corrupção, para assegurar que ele sempre mantenha a firmeza no centro da sua liderança".

O longo comunicado é cheio de jargões e com pouca descrição dos passos que o partido deve tomar. Ele somente destaca as áreas que vão ter atenção especial, como protestos e acidentes, como desastres em minas, que acontecem por conta de autoridades corruptas.

Cerca de 90 mil "incidentes de massa", um eufemismo para protesto, ocorrem todos os anos na China, dos quais dois terços são provocados por disputas de terra. O governo tem prometido reprimir a tomada ilegal de terrenos, mas sem efeitos aparentes.

Os despejos e as requisições são encarados como procedimentos que enriquecem autoridades às custas de moradores, pois os terrenos são vendidos com grandes lucros para empreendedores.

A comissão também disse que o partido vai prestar particular atenção à corrupção que acontece no curso das reformas econômicas, que inclui a reorganização das poderosas indústrias estatais.

(Reportagem de Ben Blanchard e Hui Li)