Rusal lança ação jurídica contra regras de armazenagem da LME

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013 11:27 BRST
 

LONDRES/MOSCOU, 26 Dez (Reuters) - A maior produtora de alumínio do mundo, a Rusal, deu início a uma ação judicial com o objetivo de fazer com que a London Metal Exchange (LME) revogue reformas planejadas em suas políticas de armazenagem, preocupada com mais quedas dos preços de seu metal.

A revisão jurídica que a deficitária empresa russa busca vem ao mesmo tempo em que a LME se defende de ações nos Estados Unidos que alegam que a bolsa, dois dos maiores bancos de Wall Street e grandes comerciantes de commodities conspiraram para aumentar o preço do alumínio.

A ação dramática da Rusal salienta a dificuldade enfrentada pela LME conforme ela tenta combater críticas sobre seu modo de lidar com uma crise sobre armazenamento que já dura anos.

A LME se vê entre produtores como a Rusal, que temem que as mudanças nas regras podem baixar os preços de alumínio, aprofundando suas perdas, e usuários industriais que têm reclamado há muito de que os preços foram alavancados artificialmente.

A Rusal disse que entrou com uma revisão judicial no Reino Unido na segunda-feira, exigindo o cancelamento das mudanças da LME.

Sob escrutínio regulatório, político e jurídico sem precedentes, a LME revelou amplas mudanças no mês passado em resposta a reclamações de esperas de mais de um ano e pesados encargos para retirar metal de seus armazéns.

"A administração da LME considera que a causa da reclamação da Rusal não tem mérito, e se defenderá com vigor em qualquer procedimento de revisão jurídica", disse a bolsa. "A implementação das mudanças propostas às políticas de armazenagem prosseguirão como anunciado".

A Autoridade de Conduta Financeira (FCA, na sigla em inglês), que supervisiona a bolsa, não quis comentar.

(Por Eric Onstad, Polina Devitt, Manolo Serapio Jr e Josephine Mason)