Mesmo com primário recorde de R$29,7 bi em novembro, meta não deverá ser cumprida

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013 18:01 BRST
 

Por Luciana Otoni

BRASÍLIA, 27 Dez (Reuters) - Com o reforço de receitas extras bilionárias, o setor público brasileiro registrou superávit primário de 29,745 bilhões de reais no mês passado, recorde para meses de novembro, mas um resultado que praticamente joga uma pá de cal no cumprimento da meta ajustada para o ano.

Segundo informou o Banco Central nesta sexta-feira, em 12 meses até novembro, a economia feita para pagamento de juros da dívida pública foi equivalente a 2,17 por cento do Produto Interno Bruto (PIB).

No ano, o saldo estava positivo em 80,899 bilhões de reais até novembro, ainda longe da meta ajustada de pouco mais de 110 bilhões de reais para 2013, equivalente a 2,3 por cento do PIB.

No mercado, a avaliação é que o governo central (governo federal, BC e Previdência) poderá registrar superávit de 10 bilhões de reais em dezembro cumprindo sua meta de 73 bilhões de reais.

Mas dificilmente Estados e municípios gerarão economia de gasto suficiente para que se chegue aos 110 bilhões de reais de superávit do setor público consolidado.

"Não é mais a meta fiscal que está sendo buscada, mas sim uma conta de chegada feita com receitas fabricadas", comentou o economista da consultoria Tendências, Felipe Salto.

Na manhã desta sexta-feira, o secretário do Tesouro, Arno Augustin, adiantou que o primário do governo central de dezembro será de dois dígitos.

À tarde, no entanto, durante a apresentação dos dados fiscais consolidados o BC avaliou que a meta consolidada não será entregue.   Continuação...