SAIBA MAIS-Como foi a atuação do BC no câmbio em 2013

terça-feira, 31 de dezembro de 2013 16:06 BRST
 

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO, 31 Dez (Reuters) - O dólar caminhava nesta terça-feira para fechar 2013 com a maior valorização ante o real desde 2008, ao fim de um ano marcado por incertezas externas e domésticas e pela forte atuação do Banco Central.

Nos últimos 12 meses, a moeda norte-americana oscilou entre 1,9584 reais na mínima de fechamento, atingida em 8 de março, e 2,4512 na máxima, em 21 de agosto.

Confira a seguir um histórico das intervenções do BC ao longo do ano:

* Nos primeiros meses do ano, o BC posicionou-se como um observador passivo no mercado de câmbio, num momento em que o dólar era negociado em torno de 2 reais na venda. Entre janeiro e maio, a autoridade monetária fez apenas sete intervenções, ficando completamente ausente do mercado durante todo o mês de abril.

* Neste período inicial, a percepção nas mesas de câmbio era de que o BC julgava que esse patamar de câmbio não pressionava a inflação --por meio do encarecimento de bens importados-- nem a atividade. Para preservar esse nível, a autoridade monetária chegou a realizar três ofertas de swap cambial reverso --equivalentes a compra futura de dólares-- quando a divisa renovava as mínimas do ano.

* A partir de maio cresceu a pressão sobre o dólar à medida que ganhou força a perspectiva de que o Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, daria início à redução de seu programa de compra de títulos, que injetava 85 bilhões de dólares ao ano na economia norte-americana. Parte desses recursos tende a migrar para mercados emergentes em busca de rendimentos elevados.

* A divisa norte-americana passou a subir consistentemente ante o real, avançando 7,04 por cento apenas em maio --maior ganho mensal no ano. O BC enfrentou a escalada das cotações ao voltar a intervir fortemente no câmbio, por meio de swaps cambiais tradicionais, equivalentes a venda futura de dólares, e leilões de dólares com compromisso de recompra.

* Mesmo com as intervenções do BC, o dólar manteve a trajetória de alta, levando o diretor de Política Monetária do BC, Aldo Mendes, a afirmar que o Brasil teria de conviver com uma taxa de câmbio mais fraca se a então valorização da moeda norte-americana estivesse em linha com outras moedas.   Continuação...

 
Saudita conta os dólares que recebeu após vender ouro a um cliente em Mecca, na Arábia Saudita, em outubro do ano passado. 20/10/2012 REUTERS/Amr Abdallah Dalsh