Emprego e atividade manufatureira mostram força da economia dos EUA

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014 16:45 BRST
 

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON, 2 Jan (Reuters) - Um índice que mede a atividade manufatureira nos Estados Unidos se manteve em dezembro perto da máxima em 2 anos e meio e o número de norte-americanos que solicitaram novos pedidos de auxílio-desemprego diminuiu pela segunda semana consecutivo, sugerindo que a maior economia do mundo deve ter um forte desempenho em 2014.

O fortalecimento dos fundamentos da economia dos EUA foi ressaltado pelos dados sobre os gastos com construção que atingiram o maior nível em quase cinco anos em novembro.

"As tendências subjacentes estão apontando para a aceleração da economia à medida que avançamos ao longo do ano. As condições parecem estar se unindo para um ano muito bom", disse Joel Naroff, economista-chefe do Naroff Economic Advisors em Holland, Pensilvânia.

O Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) informou que o seu índice da atividade fabril nacional ficou em 57,0 no mês passado, ante máxima em 2 anos e meio em novembro, de 57,3.

Leituras acima de 50 indicam expansão. Ainda assim, o resultado de dezembro foi o segundo maior em 2013.

"A confiança está melhorando. Isso tudo é bem positivo. Estamos esperando que o crescimento acelere novamente no ano novo", disse o economista-chefe da Raymond James, Scott Brown, em São Petersburgo, Flórida.

Apesar da atividade manufatureira responder por apenas cerca de 12 por cento da economia, tem sido o principal motor da recuperação da recessão de 2007-09.

Em relatório separado, o Departamento de Trabalho informou que o número de pedidos iniciais de auxílio-desemprego caiu em 2 mil, para 339 mil segundo dados ajustados sazonalmente, na semana passada--segunda queda consecutiva.   Continuação...