Austrália transpira após um 2013 de calor recorde; pecuária é afetada

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014 14:21 BRST
 

Por Matthew Siegel e Colin Packham

SYDNEY, 3 Jan (Reuters) - Uma forte onda de calor está afetando o centro e o norte da Austrália, prejudicando ainda mais criadores de gado que já vinham abatendo gado ao longo de 2013, enquanto o país era sufocado pelo ano mais quente já registrado.

As temperaturas ultrapassaram os 40 graus Celsius em grande parte das principais regiões agrícolas da Austrália na maior parte da semana passada, com a máxima de 48 graus Celsius sendo registrada no centro-oeste de Queensland, na cidade de Birdsville.

A onda de calor está se movendo para o leste através da Austrália e motivaram alertas de saúde na sexta-feira em algumas das maiores cidades e com bombeiros do país já lutando contra incêndios florestais.

É no interior que as temperaturas altas tiveram o impacto mais devastador, especialmente sobre os criadores de gado em Queensland, que tem cerca de 50 por cento no rebanho nacional.

"A oferta de água está diminuindo rapidamente e qualquer pasto que restava está cozinhando até o ponto em que não haverá qualquer sobra", disse Charles Burke, pecuarista e executivo-chefe da Agforce, um grupo da indústria de gado de Queensland.

"Esta seca está caminhando para ser um desastre absoluto."

Chuvas de monção no norte da Austrália deixaram de ocorrer no último verão e todo o continente sofreu seu ano mais quente desde que os registros começaram em 1910, disse o Escritório de Meteorologia nesta sexta-feira.

As temperaturas médias foram de 1,2 grau Celsius acima da média de longo prazo, de 21,8 graus Celsius, quebrando o recorde anterior estabelecido em 2005.   Continuação...

 
Vaca busca por pasto no município de St Andrews, ao norte de Melbourne, Austrália. Uma forte onda de calor está afetando o centro e o norte da Austrália, prejudicando ainda mais criadores de gado que já vinham abatendo gado ao longo de 2013, enquanto o país era sufocado pelo ano mais quente já registrado. 8/02/2009. REUTERS/Daniel Munoz