Senado dos EUA confirma Janet Yellen como próxima chefe do Federal Reserve

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014 21:47 BRST
 

WASHINGTON, 6 Jan (Reuters) - Janet Yellen, que teve importante participação nos esforços sem precedentes e controversos do Federal Reserve para impulsionar a economia dos Estados Unidos, foi confirmada pelo Senado nesta segunda-feira para liderar o banco central norte-americano, no momento em que a instituição começa a reduzir suavemente os estímulos econômicos.

Quando suceder Ben Bernanke, cujo segundo mandato como chairman do Fed termina em 31 de janeiro, Yellen se tornará a primeira mulher a liderar o banco central em seus 100 anos de história e uma das poucas à frente de bancos centrais no mundo. Ela é atualmente vice-chairman da instituição.

A nomeação de Yellen foi aprovada pelo Senado por 56 votos a favor e 26 contra. Ela ganhou apoio retumbante dos democratas, mas muitos republicanos votaram contra.

O Fed cortou as taxas de juro para perto de zero no fim de 2008 e quadruplicou seu balanço patrimonial para mais de 4 trilhões de dólares por meio de uma série de grandes programas de aquisição de títulos a fim de reduzir os custos de empréstimos de longo prazo.

Yellen, de 67 anos, passou anos defendendo esses esforços, argumentando, tanto como vice de Bernanke e antes disso como presidente do Fed de San Francisco, que reduziriam os custos dos empréstimos e estimularia a contratação no mercado de trabalho e o crescimento econômico.

Agora, essas políticas parecem estar funcionando: a taxa de desemprego nos EUA caiu em novembro para uma mínima de cinco anos, a 7 por cento, e a economia cresceu no terceiro trimestre de 2013 em seu ritmo mais rápido em quase dois anos.

A principal tarefa de Yellen no mais poderoso posto financeiro mundial será provavelmente tirar o banco central deste programa extraordinário de estímulo, começando com a redução de seu programa de compra de títulos.

(Reportagem de Thomas Ferraro e Richard Cowan)