Preços ao produtor brasileiro sobem 0,62% em novembro--IBGE

terça-feira, 7 de janeiro de 2014 13:38 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 7 Jan (Reuters) - O Índice de Preços ao Produtor (IPP) voltou a subir em novembro e teve a maior alta desde agosto ao avançar 0,62 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Em outubro, o IPP recuou 0,45 por cento, primeiro resultado negativo desde fevereiro, em dado revisado pelo IBGE depois de anunciar anteriormente recuo de 0,37 por cento.

Em 2013, a alta de novembro fica atrás apenas dos de agosto (1,43 por cento), junho (1,32 por cento) e julho (1,21 por cento). Em novembro, 16 das 23 atividades pesquisadas apresentaram alta de preços, contra nove no mês anterior.

Na comparação mensal, as maiores variações positivas ocorreram nos preços de fumo (5,10 por cento), outros equipamentos de transporte (3,08 por cento), calçados e artigos de couro (2,78 por cento) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (2,59 por cento).

Já as maiores influências de alta sobre o indicador em novembro vieram de alimentos (0,25 ponto percentual), metalurgia (0,09 ponto) e veículos automotores (0,08 ponto).

No acumulado em 12 meses até novembro, o IPP apresentou alta de 5,47 por cento, ante 5,09 por cento em outubro. Nesta base de comparação, as maiores variações ocorreram em fumo (14,63 por cento), papel e celulose (8,84 por cento), calçados e artigos de couro (8,35 por cento) e máquinas, aparelhos e materiais elétricos (8,15 por cento).

Nesse caso, os principais impactos vieram de alimentos (1,42 ponto percentual), metalurgia (0,61 ponto), refino de petróleo e produtos de álcool (0,47 ponto) e veículos automotores (0,39 ponto).

A inflação no final de 2013 vinha dando sinais de resistência, como apontado pelo Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), que subiu 0,60 por cento em dezembro. Dentro do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) acelerou a alta a 0,63 por cento, ante 0,17 por cento em novembro.

Com os olhos do mercado voltados aos próximos passos da política monetária, a expectativa agora gira em torno da divulgação na quarta-feira dos dados de novembro da produção industrial e na sexta-feira dos números de dezembro e de 2013 do IPCA.

O IPP mede os preços "na porta das fábricas" e não inclui os custos com frete e impostos que influenciam os preços ao consumidor.

(Por Rodrigo Viga Gaier)

 
Funcionário verifica um cano de cobre na metalúrgica SPTF em São Paulo. 20/04/2012 REUTERS/Nacho Doce