8 de Janeiro de 2014 / às 17:18 / 4 anos atrás

IGP-DI sobe 0,69% em dezembro e fecha 2013 com alta de 5,52%

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO, 8 Jan (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) encerrou 2013 com avanço acumulado de 5,52 por cento, abaixo do que foi registrado no ano anterior, depois de subir 0,69 por cento em dezembro.

O dado mensal divulgado nesta quarta-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV) ficou acima da elevação de 0,28 por cento vista em novembro e também da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 0,65 por cento segundo a mediana de 23 projeções.

Mas no acumulado do ano mostrou forte desaceleração ante a alta de 8,10 por cento em 2012.

“A desaceleração se deu basicamente pelo efeito agrícola da soja, que teve quebra de safra nos EUA (em 2012)”, disse a jornalistas o economista da FGV, Salomão Quadros, destacando que a oleaginosa caiu 0,82 por cento em 2013, depois de subir 65,62 por cento no ano anterior.

“Movimentos bruscos desse tipo mexem muito com o IGP, mas no varejo ainda há um foco de resistência que vem de serviços”, completou Quadros.

Em dezembro, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI) registrou inflação de 0,78 por cento, após apresentar alta em novembro de 0,12 por cento, e fechou 2013 com avanço de 5,07 por cento. O índice calcula as variações de preços de bens agropecuários e industriais nas transações em nível de produtor e responde por 60 por cento do IGP-DI.

Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI), registrou alta de 0,69 por cento, ante 0,68 por cento em novembro, com alta acumulada no ano de 5,63 por cento. O índice mede a evolução dos preços às famílias com renda entre um e 30 salários mínimos mensais e corresponde a 30 por cento do IGP-DI.

Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI) avançou 0,10 por cento em dezembro, após alta de 0,35 por cento em novembro e fechou 2013 com avanço de 8,09 por cento. O índice representa 10 por cento do IGP-DI.

A previsão da FGV é que em 2014 a inflação fique ainda mais pressionada devido a fatores como fim do efeito da queda na tarifa da energia elétrica, que em 2013 chegou a 15,8 por cento no IPC, além da valorização do dólar ante o real. A estimativa inicial é que o IGP avance para 5,8 por cento e o IPC ronde os 6 por cento.

Com as expectativas sobre os próximos passos em relação à política monetária no radar, o mercado aguarda agora a divulgação na sexta-feira dos dados de dezembro e de 2013 do IPCA. Pesquisa Reuters mostrou que, pela mediana dos consultados, o indicador deve ter fechado o ano passado com alta de 5,82 por cento.

Desde abril passado, o Banco Central tirou a Selic da mínima histórica de 7,25 por cento ao ano para o atual patamar de 10 por cento, e a expectativa dos agentes econômicos é de que ela vá subir ainda mais para controlar a inflação.

O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e das contas nacionais em geral.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below