Brasil perde US$12,261 bi com fluxo cambial em 2013, pior resultado desde 2002

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014 21:40 BRST
 

Por Tiago Pariz

SÃO PAULO, 8 Jan (Reuters) - O fluxo cambial, entrada e saída de moeda estrangeira do país, registrou déficit de 12,261 bilhões de dólares em 2013, o pior resultado em mais de uma década, num sinal de que as saídas de recursos devem continuar neste ano e colocar mais pressão sobre a cotação do dólar em relação ao real.

O resultado negativo do ano passado, segundo informou o Banco Central nesta quarta-feira, é o pior desde 2002, quando o saldo foi negativo em 12,989 bilhões de dólares, e foi afetado pelo forte déficit na conta financeira --por onde passam os investimentos estrangeiros diretos e em portfólio, entre outros-- de 23,396 bilhões de dólares no período. Só em dezembro, houve saldo negativo de 6,898 bilhões de dólares.

Já a conta comercial registrou, segundo o BC, entrada líquida de 11,136 bilhões de dólares no ano passado, com o resultado de dezembro ficando negativo em 1,881 bilhão de dólares.

"O cenário internacional está mais complexo para o Brasil e para todos os países emergentes. Isso não significa fuga de capitais e não é esse o cenário adiante para o país, mas uma saída (de dólares) persistente a moderada", afirmou o economista da Rosenberg & Associados Rafael Bistafa.

O resultado do ano passado também é o primeiro negativo desde 2008, no auge da crise financeira global. Em dezembro passado, as saídas líquidas somaram 8,780 bilhões de dólares, ainda segundo o BC.

Com os sinais mais consistentes de recuperação dos Estados Unidos, a avaliação de especialistas é de que os investidores continuem deixando o Brasil, ainda que não num movimento mais acelerado, de acordo com avaliação do economista-chefe do banco Fator, José Francisco de Lima Gonçalves.

"Devemos ter uma recuperação na conta comercial e uma estabilização da financeiro, com saídas ainda, mas com menor volatilidade que vimos no ano passado", afirmou, acrescentando que as saídas pela conta financeira serão maiores do as possíveis entradas pela conta comercial.

2014 NO VERMELHO   Continuação...

 
Notas de 100 dólares norte-americanos são exibidas num banco em Seul, na Coreia do Sul, em setembro de 2011. 20/09/2011 REUTERS/Lee Jae-Won