Agendamento evitará filas em Santos no pico da safra--autoridades

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014 18:05 BRST
 

SÃO PAULO, 8 Jan (Reuters) - As autoridades responsáveis pelo porto de Santos, o maior da América Latina, esperam que um novo sistema de agendamento de caminhões evite a repetição das filas e da confusão registradas em diversos momentos de 2013, quando começar o escoamento da nova safra de grãos brasileira, a partir de meados de fevereiro.

Desde 1o de janeiro está em vigor uma resolução que determina que todos os terminais, de commodities agrícolas ou de outros tipos de cargas, enviem aos computadores da Codesp, autoridade portuária de Santos, seus agendamentos para chegada de cargas.

Grandes tradings mundias --como ADM, Bunge, Cargill-- operam terminais na região de Santos e estão entre as empresas que terão que se adequar ao novo sistema.

Com os dados centralizados, as autoridades esperam ter informações mais completas para orientar as empresas e punir com multas aquelas que enviarem caminhões acima de sua capacidade de recebimento.

"Estamos documentalmente cobertos para ir para a punição", disse o superintendente de Logística Integrada da Codesp, Osvaldo Vale Barbosa.

Diversos órgãos de governo e empresas reuniram-se nesta quarta-feira em São Paulo para alinhar detalhes da operação e tentar evitar os problemas registrados no primeiro semestre de 2013.

Em vários momentos, em meio ao pico do escoamento de uma safra recorde de soja e com o início da chegada do açúcar para a exportação, houve filas de caminhões nas rodovias e ruas de acesso aos terminais nos municípios de Santos e Guarujá, o que causou atrasos em embarques, prejuízos para empresas e enfureceu moradores e turistas.

O sistema de agendamento integrado começou a ser implementado pela Codesp em abril, mas agora, com a nova safra, passará pelo teste de fogo.

As autoridades admitem que será impossível evitar a chegada de caminhões não agendados, mas a expectativa é que a conscientização dos exportadores e a ameaça de penalizações evitem o envio de cargas em excesso.   Continuação...