Juiz dos EUA aprova acordo do JPMorgan sobre acusações em caso Madoff

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014 08:21 BRST
 

NOVA YORK, 9 Jan (Reuters) - Um juiz federal dos Estados Unidos aprovou na quarta-feira um acordo entre o JPMorgan Chase & Co e promotores dos EUA, para resolver acusações de que o banco violou leis anti-lavagem de dinheiro ao falhar em alertar autoridades sobre sinais preocupantes encontrados por seus funcionários em negócios com o fraudador condenado Bernard Madoff.

O acordo, que diferiu as acusações criminais contra o banco até 8 de janeiro de 2016, exige que o JPMorgan pague uma multa de 1,7 bilhão de dólares e que aprimore seus controles anti-lavagem de dinheiro. Caso se adeque aos termos até a data definida, os promotores podem descartar as acusações contra o banco.

P. Kevin Castel, juiz distrital dos EUA, aprovou o acordo de acusação diferida durante uma curta audiência na quarta-feira, dizendo que "Acredito que a necessidade de exigir intervenção judicial para proteger a integridade do processo é desnecessária".

Comparecendo para representar o banco, o conselheiro-geral JPMorgan, Steven Cutler, declarou "inocência" sobre duas acusações criminais de violar a legislação norte-americana. Os promotores acusaram o banco de violar a lei ao falhar em manter controles adequados anti-lavagem de dinheiro e ao falhar em enviar um relatório de atividade suspeita.

(Por Emily Flitter e Jonathan Stempel)