BC britânico mantém juros em meio à recuperação da economia

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014 10:49 BRST
 

LONDRES, 9 Jan (Reuters) - O Banco da Inglaterra, banco central britânico, deixou a política monetária inalterada nesta quinta-feira, mantendo seu plano de deixar as taxas de juros na mínima recorde até que a rápida e surpreendente recuperação da Grã-Bretanha se estabeleça de modo mais firme.

A Grã-Bretanha transitou de uma economia fraca para umas das líderes em termos de crescimento entre as maiores do mundo no ano passado.

A economia está crescendo em ritmo de mais de 3 por cento em termos anualizados, embora haja preocupações de que a recuperação pode mostrar-se insustentável, especialmente com o aumento de salários permanecendo fraco.

O BC britânico informou em agosto que não irá cogitar a elevação das taxas até que o desemprego caia para 7 por cento. Desde então, o desemprego mostrou redução muito mais rápida do que o BC esperava, levantando dúvidas sobre por quanto tempo pode evitar elevar as taxas.

Mas a inflação também desacelerou para perto da meta de 2 por cento, reduzindo a pressão sobre o BC.

Na reunião de dois dias que terminou nesta quinta-feira, o Comitê de Política Monetária do BC manteve a taxa de juros em 0,5 por cento, como era esperado por todos os economistas que participaram de pesquisa da Reuters.

O comitê também manteve seu programa de compra de ativos em 375 bilhões de libras (618 bilhões de dólares), e não emitiu comunicado após o anúncio.

A recuperação na economia da Grã-Bretanha contrasta com a situação na zona do euro, sua principal parceira comercial, onde o Banco Central Europeu (BCE) deve usar a entrevista coletiva nesta quinta-feira para relembrar aos investidores que pode afrouxar a política ainda mais.

O presidente do BC britânico, Mark Carney, tem buscado minimizar a especulação sobre um aumento das taxas em breve, destacando que a economia britânica permanece 2 por cento menor do que antes da crise financeira, ao contrário de muitos outros países industrializados que agora são maiores do que em 2008.

(Reportagem de William Schomberg e David Milliken)

 
Sombra sobre o prédio do Banco da Inglaterra, em Londres. O Banco da Inglaterra, banco central britânico, deixou a política monetária inalterada nesta quinta-feira, mantendo seu plano de deixar as taxas de juros na mínima recorde até que a rápida e surpreendente recuperação da Grã-Bretanha se estabeleça de modo mais firme. 20/12/2013 REUTERS/Suzanne Plunkett