UE abre caminho para fusão entre Omnicom e Publicis

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014 14:20 BRST
 

BRUXELAS, 9 Jan (Reuters) - Reguladores antitruste da União Europeia disseram nesta quinta-feira que aprovaram a fusão da agência norte-americana de publicidade Omnicom com a francesa Publicis, avaliada em 35 bilhões de dólares, sem impor condições.

O acordo cria a maior agência de publicidade do mundo para competir melhor com Google e Facebook em vendas de anúncios online. A Omnicom sozinha ocupa o segundo lugar, atrás da líder WPP, com a Publicis em terceiro.

A Reuters informou em 17 de dezembro que a autoridade antitruste da UE iria aprovar o negócio.

"A entidade resultante da concentração seria suficientemente limitada por vários concorrentes, incluindo grandes grupos internacionais de publicidade", disse a Comissão Europeia em comunicado. "Caso a entidade resultante da concentração aumente os preços ou diminua a qualidade dos seus serviços, os clientes têm a capacidade de mudar."

Analistas esperavam que o acordo desencadeasse dura ação antitruste por causa da forte cota de mercado combinada da empresa e possíveis preocupações de grandes clientes.

A Comissão não viu riscos para a concorrência.

"Trocar de agências seria mais fácil pela natureza dos mercados, pela relativamente curta duração dos contratos e pelos custos relativamente limitados da mudança", disse a Comissão.

A gigante franco-americana terá sob o mesmo teto as contas dos principais concorrentes em uma série de indústrias, tais como Apple e Samsung, ou Coca-Cola e PepsiCo. Também vai agrupar as agências da Publicis, como Saatchi & Saatchi e Leo Burnett, com as da Omnicom, como BBDO Worldwide e DDB Worldwide.

Reguladores nos Estados Unidos, Coreia do Sul, Canadá, Índia, Turquia e África do Sul já deram luz verde para a fusão.

(Reportagem de Foo Yun Chee)